Do Mais Brasília

Anvisa alerta que testes de Covid-19 não atestam proteção vacinal

Segundo Agência, produtos disponíveis no mercado não devem ser usados para avaliar nível de imunidade ou proteção de pessoas vacinadas contra doença

Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alertou, nesta terça-feira (8/6), que os testes para diagnósticos de Covid-19 disponíveis no mercado não devem ser utilizados para atestar o nível de proteção contra o novo coronavírus. Isso porque estes itens não tem essa finalidade.

A Anvisa destaca que é importante informar a população que os produtos atuais registrados no Brasil possibilitam apenas a identificação de pessoas que tenham se infectado pela Covid-19.

“Os testes disponíveis não foram avaliados para verificar o nível de proteção contra o novo coronavírus”, afirma a Agência. O órgão ressalta ainda que, mesmo quando usados para a finalidade correta, os resultados fornecidos só devem ser interpretados por um profissional da saúde.

A agência reforça, ainda, que não há embasamento científico que relacione a presença de anticorpos contra o novo coronavírus no organismo e a proteção à reinfecção. “Sendo assim, nenhum resultado de teste de anticorpo (neutralizante, IgM, IgG, entre outros) deve ser interpretado como garantia de imunidade e nem mesmo indicar algum nível de proteção ao novo coronavírus”.