Da redação
Do Mais Brasília

Após enterrar filho, mãe de Henry foi a salão de beleza

Monique frequenta o local desde que se mudou, em novembro do ano passado, dois meses após conhecer o vereador durante um almoço

No dia seguinte do enterro do filho, Henry Borel Medeiros, de 4 anos, no cemitério do Murundu, em Realengo, Monique Medeiros da Costa e Silva foi a um salão de beleza perto de onde moram, na Barra da Tijuca. No estabelecimento, que fica a cinco minutos de carro do condomínio Majestic, no Cidade Jardim, onde ela morava com o menino e o namorado, o vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, a professora realizou os serviços de manicure, pedicure e escova.

Ela foi atendida por três profissionais, totalizando R$ 240 em serviços. Monique frequenta o local desde que se mudou, em novembro do ano passado, dois meses após conhecer o vereador durante um almoço profissional no Village Mall. Eles começaram a namorar em setembro e logo escolheram o apartamento 203 do bloco I do Majestic para dividir com a criança.

Com máscara preta, roupa social e calça de cores escuras, a professora Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, de quatro anos, foi presa aproximadamente às 6h da manhã desta quinta-feira por agentes da 16ª DP (Barra da Tijuca), que cumpriram um mandado de prisão temporária contra ela por suspeita de participação no assassinato do filho e de atrapalhar as investigações do caso. A prisão foi expedida pela juíza Elizabeth Louro Machado, do 2º Tribunal do Júri do Rio.

Enquanto Monique saía de casa acompanhada pelos policiais, caminhava calmamente no trajeto do portão de sua casa até a viatura. Um repórter se aproximou e perguntou: “Vocês mataram o menino? Bateram nele?”. A presa não se abalou com o questionamento, mantendo silêncio diante da pergunta do jornalista.