FolhaPress

Cinco capitais suspendem vacinação contra Covid por falta de imunizante

Além de São Paulo, pelo menos mais quatro seguem apenas com 2ª dose nesta terça (22)

Foto: Rubens Cavallari

Pelo menos cinco capitais brasileiras estão com a aplicação da primeira dose de vacinas contra o novo coronavírus paradas nesta terça-feira (22/6) -a maioria devido à falta de imunizantes para seguir o cronograma.

Além de São Paulo, que anunciou nesta segunda a suspensão, João Pessoa, Aracaju, Florianópolis e Campo Grande estão aplicando apenas a segunda dose .

Na capital paulista, a suspensão foi anunciada depois que 300 postos registraram falta de doses na segunda-feira (21/6). A previsão é que na terça seria realizada a repescagem para pessoas de 50 e 59 anos.

Segundo a coluna Mônica Bergamo, a previsão é que 186 mil doses da Coronavac sejam entregues pelo governo do estado para a capital ainda nesta terça para a aplicação de primeira dose, e a vacinação seja retomada na quarta.

Em João Pessoa, o calendário desta terça prevê a aplicação de segundas doses de Coronavac, para quem completou 28 dias da primeira dose, e AstraZeneca, para quem tem 90 dias desde a primeira vacinação. A previsão é que mais vacinas cheguem nesta quarta, segundo a prefeitura.

Aracaju teve vacinação durante o fim de semana acima do previsto e, por isso, precisou suspender a primeira dose – foram 20.127 pessoas vacinadas. A capital de Sergipe parou na faixa etária de 40 anos ou mais para pessoas sem comorbidades e espera novos lotes para avançar para o público de 39 e 38 anos.

Em Florianópolis, a prefeitura diz que esgotou as 8.500 vacinas recebidas para a primeira dose em dois dias e que reserva 150 que ainda tem em estoque para lactantes, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias depois do parto).

A vacinação na capital catarinense está focada na segunda dose para pessoas de 67 anos ou mais e daquelas para as quais já passou o prazo para o reforço. A primeira dose parou na faixa etária de 50 anos ou mais.

Campo Grande também segue a vacinação apenas com a segunda dose, dos imunizantes Coronavac e AstraZeneca. A capital de Mato Grosso do Sul diz que a suspensão nesta terça foi uma medida excepcional para vacinar as pessoas que estão aguardando a segunda dose ou com a aplicação dela atrasada.

A previsão da prefeitura era de que a aplicação da primeira dose seria retomada ainda nesta quarta, porém, uma reunião da câmara técnica na manhã de terça definiu que o estoque deve seguir sendo direcionado à segunda dose até chegada de novos lotes, ainda sem previsão. Entre a última sexta e domingo, Campo Grande recebeu o total de 56 mil doses de imunizantes da Pfizer, Coronavac e AstraZeneca.

A distribuição das vacinas depende do envio das mesmas pelo governo federal aos estados, que fazem a logística e divisão entre os municípios e estes entre os postos de atendimento em cada local.

Segundo as prefeituras, a oferta esgotou nestas capitais devido à grande procura. Aracaju, por exemplo, que tem uma população estimada pelo IBGE de 664.908 pessoas, diz que aplicou 60 mil doses apenas na última semana.

Questionado sobre a suspensão temporária da aplicação de doses em diferentes capitais, o Ministério da Saúde diz que a responsabilidade pela distribuição das vacinas aos municípios é das gestões estaduais e que a previsão é de envio de mais doses nesta semana.

Entre as próximas remessas a serem repassadas, estão doses da vacina da Pfizer. O quantitativo deve ser definido após reunião em conjunto com estados e municípios, informa a pasta, em nota.

O ministério diz ainda que depende de entregas dos fabricantes para realizar a distribuição aos estados. Até o momento, aponta, já foram distribuídas cerca de 123 milhões de doses de vacinas Covid-19.