FolhaPress

Em post racista, Mario Frias diz que ativista negro precisa de banho

Secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias, diz que não conhece Jones Manoel, mas que se conhecesse, diria a ele para tomar banho

Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

EDUARDO MOURA

O secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias, postou um comentário racista direcionado a um ativista negro.
O assessor da Presidência Tercio Arnaud Tomaz reproduziu uma chamada do site Brasil247 com foto do ativista e título “Jones Manoel diz que já comprou fogos para eventual morte de Bolsonaro”.

Tomaz comentou: “Quem caralhas é Jones Manoel?”. Mario Frias então respondeu: “Realmente eu não sei. Mas se eu soubesse diria que ele precisa de um bom banho.” Jones é um homem negro, com cabelo estilo black power e barba.
Jones Manoel é um historiador pernambucano, estudioso da obra do italiano Domenico Losurdo (1941-2018), que impressionou Caetano Veloso pela sua crítica ao liberalismo.