FolhaPress

Ministério Público investiga dano em estação de água após afundamento do solo em Maceió

A petroquímica diz que a estação na está no mapa das áreas de risco

Afundamento em Maceió
Foto: Jonathan Lins/Folhapress

O Ministério Público Federal abriu inquérito para apurar se há correlação entre um dano na estrutura de uma estação de tratamento de água em Maceió com o caso do afundamento do solo atribuído à extração de sal-gema da Braskem que destruiu pisos e rachou paredes de casas em diversos bairros na capital alagoana em 2018.

A petroquímica diz que a estação não está no mapa das áreas de risco da Defesa Civil de Maceió, mas implantou um sistema de monitoramento no local.
Procurada pelo Painel S.A., da Folha de S.Paulo, a Braskem também afirma que assinou um termo de compromisso para prestar apoio técnico.

A Casal (Companhia de Saneamento de Alagoas) diz que atribui à Braskem o fenômeno do afundamento do solo, mas que tem dialogado com a petroquímica. Também afirma que autorizou a realização de obras para mitigar o problema na estação, a serem feitas por uma empresa contratada pela Braskem.

Por Joana Cunha