FolhaPress

Mulher é acusada de extorquir padre após flagrar conversas íntimas no interior de SP

Acusada chegou a ser presa, mas conseguiu liberdade provisória. Processo é sigiloso

Foto: Reprodução/Google Street View

Uma moradora de Pindorama, cidade com pouco mais de 17 mil habitantes localizada na região de São José do Rio Preto (a 437 km de São Paulo), no interior paulista, é acusada de extorquir dinheiro de um padre após descobrir conversas íntimas entre o religioso e o marido dela.

A mulher, de 27 anos, chegou a ser presa, mas conseguiu liberdade provisória e está proibida de fazer contato com o padre. O processo é sigiloso e os nomes dos envolvidos no caso não foram divulgados pela polícia.

O padre procurou a polícia em setembro deste ano após pagar R$ 3 mil à mulher, que queria dinheiro para ficar em silêncio.

De acordo com as investigações, ela pediu mais dinheiro e foi presa em flagrante durante uma simulação de pagamento, articulada pela polícia.

Em nota, a Diocese de Catanduva, responsável pela Paróquia de Pindorama, informou que orienta os seus membros a atuar com transparência e comunicar às autoridades competentes sobre ilícitos que forem constatados, seja na evangelização ou nos atos privativos de seus membros. Disse também que está à disposição para contribuir com a Justiça.

Em agosto deste ano, o bispo dom Tomé Ferreira da Silva, da Diocese de São José do Rio Preto, renunciou ao cargo após ter vídeo íntimo divulgado na internet. O pedido foi aceito pelo papa Francisco e divulgado no boletim oficial do Vaticano e em um comunicado emitido pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

As imagens que viralizaram nas redes sociais mostram o bispo seminu durante uma videochamada. O clérigo aparece tirando a roupa e acariciando o próprio órgão sexual. Na imagem, ao final, há outro homem, com uma tarja cobrindo o rosto, também nu.

“A Nunciatura Apostólica informa que o Santo Padre aceitou hoje o pedido de renúncia ao governo pastoral da Diocese de São José do Rio Preto, apresentada por S. Excia. D. Tomé Ferreira da Silva, nomeando, ao mesmo tempo, como Administrador Apostólico, o Exmo. Sr. D. Moacir Silva, arcebispo de Ribeirão Preto”, diz o comunicado assinado pelo bispo auxiliar de S. Sebastião do Rio de Janeiro, dom Joel Portella Amado.