Da redação
Do Mais Brasília

Novo lote de vacinas da Pfizer chega ao Brasil neste domingo

Avião com 17º lote pousou na manhã deste domingo no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP)

O terceiro lote com 936 mil doses da vacina da Pfizer previsto para ser entregue esta semana chegou neste domingo (27/6) ao Brasil.  O avião que saiu de Miami (EUA) com os imunizantes pousou no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), por volta das 7h30.

A farmacêutica enviou ao país outra remessa de 936 mil doses na quinta (24/6), e uma de 528.840 doses na última terça (22/6). Os envios fazem parte do acordo da empresa com o Ministério da Saúde. Com a nova remessa, foram entregues 2,4 milhões de doses somente nessa semana.

Até o momento, 17 lotes com vacinas da empresa americana chegaram ao país provenientes deste acordo, totalizando 13 milhões das 200 milhões de doses do imunizante contratadas pelo governo federal. A Pfizer diz que vai cumprir o cronograma de entrega total até o final de 2021.

No último domingo (20), a Pfizer enviou ao Brasil a primeira remessa de doses da vacina por meio do consórcio global Covax Facility. A entrega foi de 842 mil imunizantes, também pelo Aeroporto Internacional de Viracopos.

A Pfizer utilizou o Aeroporto de Viracopos para todas as entregas ao Brasil até agora. A primeira remessa teve 1 milhão de doses e foi recebida pelo país em 29 de abril, em cerimônia que contou com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

A logística de entrega das doses ao governo federal conta com segurança da Polícia Federal. Equipes acompanham o desembarque em Viracopos e escoltam o transporte rodoviário das doses até o centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP).

Armazenamento

No fim de maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou novas condições de conservação e armazenamento para a vacina da Pfizer, que agora pode ser mantida em temperatura controlada entre 2ºC e 8ºC por até 31 dias. A orientação anterior era de cinco dias.

Antes da liberação dos frascos para a vacinação, as doses da Pfizer precisavam ser armazenadas em caixas com temperaturas entre -25°C e -15°C por, no máximo, 14 dias. Tais condições não permitiam que a vacina fosse enviada para municípios distantes mais que 2h30 da capital do estado.