Do Mais Brasília

Polícia Federal nega que homem que chamou porteira de ‘macaca’ seja da corporação

Num vídeo que ganhou ampla repercussão, o homem aparece alterado, chamando a porteira do condomínio de termos considerados racistas

Num vídeo que ganhou ampla repercussão, o homem aparece alterado, chamando a porteira do condomínio de termos considerados racistas

A Polícia Federal (PF) negou que Vinicius Pereira da Silva, morador de um condomínio do Jardim Goiás, em Goiânia, faça parte da corporação. O homem aparece em um vídeo se identificando como tal e chamando de “macaca” a porteira do prédio onde mora. Segundo a vítima, a situação ocorreu após ela se negar abrir o portão da garagem sem a identificação do homem, o que provocou sua irritação.

No vídeo que ganhou ampla repercussão, Vinicius aparece ligeiramente alterado, chamando a porteira do condomínio de termos considerados racistas como “macaca”, chimpanzé”. “Me encara, desgraça!”, grita ele. Não satisfeito, o homem ainda liga na portaria, após subir ao apartamento, dizendo que meteria “sua arma na cintura” e desceria “para resolver”, pois era “policial federal”.

Entretanto, procurada pela imprensa, a Polícia Federal negou que o seja membro da corporação. A Polícia Civil intimou Vinicius para depor na delegacia, mas ele ainda não compareceu.

Ao Mais Goiás, o síndico do prédio, Anderson Schneider, afirmou que a porteira do prédio vítima das agressões verbais tirou a semana de folga, em razão do abalo psicológico sofrido, mas que a intenção do prédio é que ela continue no cargo.