Do Mais Brasília

Prefeitos do Entorno pedem reabertura de hospital em Águas Lindas a ministro

Titular do Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga disse que levaria demanda ao presidente

Prefeitos do Entorno pedem reabertura do HCamp de Águas Lindas a ministro (Foto: Divulgação)

Oito prefeitos do entorno de Brasília se encontraram com o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na segunda-feira (13), para pedir a reabertura do Hospital de Campanha (HCamp) de Águas Lindas. O encontro, contudo, terminou sem definição.

A justificativa dos prefeitos foi a alta taxa de ocupação de leitos de UTI destinados à Covid-19 no Estado e também a necessidade escoar o atendimento na região – com a abertura do HCamp, os hospitais regionais teriam uma demanda menor e facilitaria o atendimento sem que os moradores tivessem que sair da cidade. O ministro informou que irá levar a questão ao presidente Bolsonaro (sem partido) para avaliação.

O encontro foi organizado pelo deputado federal Major Vitor Hugo (PSL), homem de confiança de Bolsonaro e líder do PSL na Câmara, e também contou com a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda. Participaram da reunião: Lucas de Carvalho, de Águas Lindas de Goiás; Fábio Correa, de Cidade Ocidental; Diego Sorgatto, de Luziânia; Carlos Alves dos Santos, de Novo Gama; Aleandro Caldato, de Santo Antônio do Descoberto; Pábio Mossoró, de Valparaíso; Joseleide Lázaro Luiz da Silva, de Padre Bernardo; e Cristiomário de Souza Medeiros, de Planaltina de Goiás.

Outras demandas

“Solicitamos apoio do governo federal para a implementação e volta do Hospital de Campanha em Águas Lindas, bem como o fornecimento de insumos para os municípios do Entorno, como medicamentos para sedação, oxigênio, testes de Covid, entre outros”, disse Diego Sorgatto.

O prefeito de Luziânia afirmou, ainda, que reforçou a importância do repasse de recursos financeiros do governo federal para as cidades, visando o custeio e manutenção das unidades de saúde nesse momento tão delicado. “As prefeituras acabam tendo que usar verbas de outras áreas no combate à pandemia, como, por exemplo, tivemos que adquirir um tanque de oxigênio para o Hospital Regional do Jardim Ingá, no valor de R$ 390 mil”, exemplifica.

Ainda segundo o gestor, Luziânia – que tem aproximadamente 220 mil habitantes – recebeu quase R$ 40 milhões para combater a pandemia no passado. Porém, neste ano, até agora, menos de R$ 300 mil.

HCamp

O HCamp de Águas Lindas foi inaugurado, com atraso, em 5 de junho e desativado em 22 de outubro. Enquanto esteve funcionando, o hospital recebeu 771 pacientes. Destes, 480 se recuperaram e 254 vieram a óbito. Os 37 pacientes que ainda estavam internados no local foram encaminhados para outros hospitais.

De responsabilidade do governo federal, o Estado disse à Procuradoria Geral da República (PGR), no último mês, que chegou a solicitar a prorrogação do contrato até dezembro de 2020, mas não houve acordo com o MS, que concordou em manter a estrutura por apenas 30 dias a mais do que o combinado.

Na época do fechamento, contudo, a secretaria de Saúde disse que o fechamento ocorreu por causa da queda no número de casos de Covid-19 registrados em Goiás. De acordo com a SES, à época, os insumos foram encaminhados às unidades de Luziânia, Formosa e para o Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin). Já os equipamentos foram recolhidos para o almoxarifado da pasta para serem distribuídos para outras unidades. (Do Mais Goiás)