Da redação
Do Mais Brasília

Saiba como reconhecer e identificar pessoas que sugam sua energia

Chamadas de “vampiros emocionais”, pessoas assim são consideradas tóxicas e podem comprometer o desenvolvimento do ser humano

Manter contato com as mais variadas pessoas é essencial para o convívio em sociedade. Estar e entrar em conexão com ideias, pensamentos e ideologias diferentes agrega crescimento e maturidade ao ser humano.

Contudo, em alguns casos é possível se sentir mal ao ter contato com uma determinada pessoa. Por vezes, a sensação de desânimo, tristeza e até ausência de energia faz com que o ser humano procure se afastar. Casos assim são reais e a ciência tem uma explicação para o assunto.

O neurocientista Moran Cerf, da Universidade de NorthWestern, apontou através de exames de neuroimagem que o cérebro humano é capaz de gerar uma sincronia nos impulsos cerebrais. De acordo com o estudo realizado por ele, os cérebros conversam entre si fazendo com que pessoas que convivem muito tempo juntas, ao compartilhar informações geram alinhamentos entre os dois cérebros. Portanto, assim como a alegria é um sentimento contagiante, a tristeza, o estresse e o desânimo também são emoções que contagiam.

No caso de negativismo, pessoas assim são chamadas de “vampiros emocionais”, ou seja, indivíduos carregados de negatividade, que absorvem a energia positiva de quem está ao redor. O termo foi criado pelo doutor Albert Bernstein.

“No início o vampiro emocional parece uma ótima pessoa. É brilhante e encantador. Certamente, se você cruzar com um, irá gostar dele logo de cara, depositando toda a sua confiança. No entanto, com a convivência, virá a decepção. Você se dará conta que é uma pessoa extremamente crítica, controladora, narcisista. Também são muito negativas e manipuladoras”, define Bernstein em seu livro “Vampiros emocionais: como reconhecer e tratar com essas pessoas que manipulam nossos sentimentos”.

Para a neuropsicóloga Juliana Gebrim pessoas assim podem comprometer as mais diversas áreas da vida do outro, desde a profissional ou pessoal. A especialista ressalta que o primeiro passo para identificar um vampiro emocional é saber analisar os rastros deixados por eles.

“Pessoas tóxicas conseguem transmitir desânimo e tristeza às pessoas que convivem, são como doentes que infectam uns aos outros com pessimismo e desesperança, declara a profissional.

Gebrim ainda ressalta que pessoas assim podem gerar um mal-estar de forma proposital, ou não.

“Os dois principais elementos usados por essas pessoas para afetarem os outros são tempo e proximidade. Pessoas tóxicas tendem a falar demais e usar esse tempo para sugar suas boas energias”, enfatiza.

A neuropsicóloga relembra que reconhecer esse tipo de pessoa é o melhor caminho para se manter longe dela. Confira as dicas da profissional.

• Se afaste dessas pessoas. Não tenha medo de, literalmente, bloquear esses vampiros emocionais da sua vida;
• Busque auxílio psicológico com um profissional;
• Sorria, os vampiros detestam luz. Seu sorriso é capaz de desarmar um qualquer vampiro emocional que te rodeia;
• Não dê atenção ao que pessoas tóxicas destilam sobre sua vida, seus pensamentos e convicções;
• Faça afirmações positivas, principalmente quando estiver perto de alguém nesta situação;
• Fortaleça sua autoestima! Pessoas autoconfiantes não são facilmente afetadas por pessoas negativas;
• Cuide da sua saúde: quando você dorme bem, se alimenta bem, está bem espiritualmente, é muito difícil um vampiro chegar perto de você. Mantenha sua saúde em bom estado;
• Descanse! Quando você está cansado, você fica mais vulnerável para esse tipo de situação;
• Tenha firmeza nas suas convicções e no seu caráter;
• Não sinta pena: não se permita sentir pena de uma pessoa tóxica ou de um vampiro emocional. Quando você sente pena, você está deixando que a agressividade, os abusos psicológicos dessas pessoas permaneçam em você. Não justifique as ações das pessoas para que elas inundem sua vida de um mal-estar desnecessário.