Do Mais Brasília

Agentes impedem rebelião no presídio de Novo Gama

Segurança no local foi reforçada com o auxílio do Grupo de Intervenção Tática da região

Apesar de informações preliminares sobre rebelião no presídio de Novo Gama ocorrido na tarde desta terça-feira (18), a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) nega que a situação tenha chegado a esse ponto. Segundo o órgão, houve um princípio de motim, com internos tentando “subverter a segurança local”, mas que foi rapidamente controlado sem mortos ou feridos gravemente.

Por meio de nota, a DGAP informou que “a ordem e disciplina no referido presídio foram normalizadas após detentos tentarem subverter a segurança do local. De imediato, graças à ágil atuação dos policiais penais, foram tomadas as providências necessárias para conter o motim provocado por internos da unidade”.

Ainda segundo o órgão, nenhum detento morreu na ação da polícia penal, mas alguns presos tiveram leves escoriações. “A segurança no local foi reforçada com o auxílio do Grupo de Intervenção Tática (GIT) da região”.

Por telefone, comerciantes locais – que não quiseram ser identificados – confirmaram movimentações no local, com a presença de familiares dos internos do lado de fora. A informação que chega até eles é que o motim ainda estaria acontecendo e algumas pessoas estariam feridas.

Em relação ao quantitativo de internos, 279 cumprem pena no local.

 

Confira a nota da DGAP na íntegra:

A propósito de informações solicitadas sobre a suspeita de rebelião na Unidade Prisional Regional de Novo Gama, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), por meio da Superintendência de Segurança Penitenciária (Susepe) informa o que se segue:

– Não há rebelião na UPR. O que ocorreu foi um princípio de motim, que está controlado por policiais penais da região.

– A ordem e disciplina no referido presídio foram normalizadas após detentos tentarem subverter a segurança do local. De imediato, graças à ágil atuação dos policiais penais, foram tomadas as providências necessárias para conter o motim provocado por internos da unidade.

– Durante a ação, nenhum detento veio a óbito, apenas alguns presos ficaram feridos com leves escoriações.

– A segurança no local foi reforçada com o auxílio do Grupo de Intervenção Tática (GIT) da região.

– Sobre o quantitativo de internos, há cerca de 279 que cumprem pena no local.