Do Mais Brasília

Corregedoria da PM apura caso do sargento envolvido em esquema de agiotagem

Se comprovado os indícios de irregularidades ou crime, todas as medidas cabíveis serão tomadas segundo a Instituição

Foto: Reprodução

A Corregedoria da Polícia Militar do DF (PMDF) instaurou a apuração dos fatos no caso do sargento da corporação preso em uma operação da Polícia Civil na manhã deste terça-feira, por envolvimento em esquema de agiotagem.

De acordo com a corporação, se comprovado os indícios de irregularidades ou crime, todas as medidas cabíveis serão tomadas.

A instituição também declarou que não compactua com qualquer desvio de conduto de seus integrantes.

O caso

Ronie Peter Fernandes da Silva, terceiro sargento da PMDF e o irmão, o empresário Tiago Fernandes da Silva, fora alvos da Operação S.O.S. Malibu, deflagrada na manhã desta terça-feira (16/11) pela PCDF. Além deles, outros três integrantes da organização foram presos e diversos carros de luxo foram apreendidos. Um envolvido segue foragido no estado de São Paulo.

O grupo é investigado por realizar o empréstimo de dinheiro a juros superiores aos permitidos por lei (usura ou agiotagem) e cobrava os valores mediante o emprego de grave ameaça. De acordo com a investigação da equipe da Divisão de Roubos e Furtos (DRF), durante as cobranças, além das ameaças, o grupo tomava veículos e exigia a transferência de imóveis dos endividados.

Nos últimos seis meses, a organização movimentou mais de R$ 8 milhões. Ainda segundo a PCDF, somente nos dois últimos anos, o grupo adquiriu oito veículos da marca Porsche, cada um com valor aproximado de R$ 1 milhão.