Larissa Passos
Do Mais Brasília

Defensoria Pública pede proteção de integridade de Lázaro após prisão

Pedido da DPDF sobre autor de chacina foi encaminhado à Vara de Execuções Penais, na última sexta-feira (18/6)

A Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) encaminhou à Vara de Execuções Penais (VEP-DF) um pedido de proteção especial à integridade física e mental de Lázaro Barbosa de Souza, de 32 anos, em caso de uma possível prisão. Ele é procurado há 13 dias por cometer chacina em uma chácara no Núcleo Rural Alexandre Gusmão, em Ceilândia.

A solicitação foi enviada para análise da juíza Leila Cury na última sexta-feira (18/6). Caso o acusado seja capturado pelos policiais, o pedido protocolado prevê a proteção “em face de ataques midiáticos e dos pedidos de entrevistas exclusivas ou outro tipo de promoção que o exponha ainda mais quando houver a recaptura”.

Na petição, a defensora pública responsável pelo caso afirma que a “enorme repercussão nacional conferida ao caso, visando salvaguardar a vida e a saúde do assistido, a defesa técnica requer, desde logo, ao ilustre juízo que seja garantida a proteção da integridade física e psíquica do assistido com a alocação deste em instalações seguras, se possível, sem ter que dividir cela com outros internos do estabelecimento prisional em caso de sua recaptura com vida”.

A defesa destacou, ainda, que estamos vivenciando uma “sensacionalismo exacerbado durante a recaptura de Lázaro, com inúmeras comparações com filmes de ação, bem como pela proliferação de memes nas redes sociais criados pelos usuários sobre o caso”.

Em nota, a Defensoria Pública informou que encontra-se à disposição de todos os cidadãos em situação de vulnerabilidade econômica, social e jurídica. Veja abaixo nota completa:

“Em atenção ao pedido de informações acerca de manifestação subscrita por um de seus membros, solicitando providências à Vara de Execuções Penais no sentido de alocar Lázaro Barbosa de Sousa em cela separada dos demais detentos, registramos que esse pedido é comum, em casos dessa natureza, tendo por objetivo a garantia do cumprimento da legislação vigente após a eventual captura de Lázaro. A Defensoria Pública do DF, ao tempo que se solidariza com as vítimas dos delitos, deseja que as investigações e buscas sejam bem sucedidas, com a maior celeridade possível, e que nenhuma outra pessoa venha a sofrer risco de vida ou lesão aos seus direitos. Esperamos que, após a detenção do suspeito, sua vida e integridade física sejam protegidas, a fim de que ele seja submetido ao devido processo legal. A Defensoria Pública do DF encontra-se à disposição de todos os cidadãos em situação de vulnerabilidade econômica, social e jurídica, para proteger os seus direitos fundamentais, inclusive vítimas de crimes”.