Da redação
Do Mais Brasília

DF ocupa a 19ª posição no ranking de imunização e segue atrás de estados mais pobres do país

Apenas 460.913 mil pessoas estão totalmente imunizadas na capital do país. Essa soma representa 15,10% da população geral

Vacinação Covid-19
Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Na última segunda-feira (19/7), a vacinação no Distrito Federal completou exatos seis meses. Desde início da campanha, em 19 de janeiro, 1.123.040 pessoas receberam a primeira dose, segundo o vacinômetro disponibilizado pela Secretaria de Saúde do DF (SES-DF). O número corresponde a apenas 38,27% da população geral.

O marcador ainda aponta que 460.913 mil pessoas já estão totalmente imunizadas na capital do país. Dessas, 45.048 receberam a vacina da Janssen, que tem dosagem única. Essa soma de pessoas representa 15,10% de imunizados.

Comparado aos outros estados da federação e, de acordo com o último levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa, a partir de dados das secretarias de Saúde do país, a capital ocupava, na manhã desta quarta-feira (21/07), a 19ª posição no ranking de imunização.

O número reflete que o DF anda longe de ser referência na imunização contra a Covid-19 e está atrás de estados mais pobres do país, como por exemplo, o Maranhão, que está duas posições à frente, na 17ª colocação e o Amazonas, que está na 7ª posição em relação à população total imunizada.

São Paulo foi o primeiro estado a atingir a marca de 50% de sua população com a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Pelo consórcio, o Brasil conta com 91.085.077 pessoas vacinada com a 1ª dose, o que corresponde a 43,01% da população brasileira. O levantamento também mostra que 34.913.935 pessoas estão totalmente imunizadas (com duas doses ou dose única). Esse número equivale a 16,49% da população brasileira.

Faixa etária

No DF, a faixa etária atual para receber a primeira dose de vacina está em pessoas com 40 anos ou mais. Até então, o processo que era feito por meio de agendamento eletrônico, mas o sistema está suspenso. Ao tentar acessar o site o usuário encontra a mensagem “Aguardar a disponibilização de novas vagas”.

Imagem reproduzida às 10h46 desta quarta-feira (21/07). Foto: Reprodução/Site SES-DF

Na última coletiva da SES-DF sobre o assunto, realizada na tarde da segunda, 19 de julho, o governo do DF (GDF) afirmou que planejava ampliar a vacinação contra a Covid-19 para pessoas a partir de 37 anos.

Segundo o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, a decisão de ampliação dessa faixa etária será possível com a chegada de 92.232 doses, previstas para serem recebidas pelo Ministério da Saúde (MS) até a próxima quinta-feira (22/7).

Na coletiva, Rocha informou também que o governador Ibaneis Rocha (MDB) autorizou que a vacinação deste novo grupo seja realizada sem agendamento, mas ainda não deu detalhes de como o mecanismo será realizado. A medida ocorre após reclamações a respeito de problemas de instabilidade no site da Secretaria de Saúde.

Antecipação de vacinas

O GDF chegou a anunciar que a aplicação da segunda dose (D2) em profissionais da educação seria antecipada para ter início a partir do dia 26 de julho. Ao fazer o anúncio, o secretário da Casa Civil ressaltou que é preciso ter, no mínimo, o intervalo de 60 dias entre uma dose e outra, mas disse também que a divulgação do novo calendário seria feita pela SES-DF “a tempo e o modo adequado para que todos tenham conhecimento”.

Os profissionais da educação do DF foram escolhidos para terem a antecipação da segunda dose, pois o governo anunciou o retorno das aulas do segundo semestre.

Antes disso, o executivo local havia confirmado que faria a antecipação da segunda dose em toda a população do DF, mas voltou atrás após a declaração do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que criticou a medida.

Queiroga defendeu que decisões sobre antecipar a aplicação da segunda dose ou vacinar adolescentes devem ser tomadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Para ele, medidas diferentes “rompem” o pacto tratado no programa.

“A decisão que tomamos hoje é que se mantenha a rigidez do PNI. Se algum secretário entende de maneira divergente, ele apresenta a sua irresignação e o grupo vai deliberar de tal maneira que consigamos avançar”, disse.

Estoque e vacinação no DF

De acordo com o vacinômetro, o DF recebeu, até o momento, 1.971.260 mil doses de imunizantes. A Astrazeneca foi a vacina em maior quantidade, sendo 956.850 mil doses. Em segundo lugar está a vacina Coronavac com 739.960 dosagens, em terceiro a Pfizer 215.400 e por último a Janssen com 59.050 doses.

Segundo o levantamento, o estoque na rede de frios do estado para a primeira dose de vacina contra a Covid-19 tem a quantidade de 42.622. Dessas, 13.072 são Coronavac e 29.550 são Astrazeneca.

Para a segunda dose o estoque soma 191.040 doses, sendo que 40.120 são Coronavac e 150.920 são da Astrazeneca. Pfizer não tem unidades disponíveis. A vacina dosagem única da Janssen tem disponível 1960 unidades.

No caso da CoronaVac, o prazo entre uma dose e outra varia de 14 a 28 dias. Já para a vacina AstraZeneca/Oxford, o intervalo é de até 90 dias. A vacina da Janssen é aplicada em dose única.

O que diz a Secretaria

O Mais Brasília entrou entrou em contato com a Secretaria de Sáude e questionou a ausência de celeridade na vacinação, assim como qual será o processo para imunização nas próximas semanas, mas até a publicação desta reportagem a pasta não se pronunciou.

O espaço segue aberto para manifestação.