Da redação
Do Mais Brasília

Esquema de fraude fiscal causou R$ 60 milhões de prejuízo aos cofres públicos

O grupo é responsável por um “sofisticado esquema” para a criação de empresas fantasmas com o objetivo de diminuir o recolhimento de tributos ao governo

Complexo PCDF

Uma megaoperação da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) realizada na manhã desta terça-feira (6/7), cumpriu dez mandados de prisão temporária e 122 mandados de busca e apreensão contra um grupo suspeito de sonegar imposto. O prejuízo estimado pela corporação é de R$ 60 milhões aos cofres públicos.

Segundo a investigação o grupo é responsável por um “sofisticado esquema” para a criação de empresas fantasmas com o objetivo de diminuir o recolhimento de tributos ao governo. Na apuração da PCDF, entre outubro de 2019 e maio de 2021, o grupo foi responsável por criar quase 100 empresas de fachada.

A investigação apontou que os criminosos movimentaram quase R$ 500 milhões em notas fiscais frias, para, aproximadamente, 330 empresas destinatárias que se beneficiaram dos créditos de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

A operação da PCDF com apoio da Subsecretaria da Receita da Secretária de Estado de Economia do Distrito Federal (SUREC/SEEC) e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT, cumpre as diligências em escritórios de contabilidade, em empresas beneficiárias do esquema, na residência de contadores, funcionários e empresários, além de algumas empresas de certificação digital.

Participam da operação mais de 200 policiais e pelo menos 100 servidores da Secretaria de Economia.