Do Mais Brasília

Governo do DF anuncia pagamento de reajuste, mas dinheiro só sai em abril

O secretário pontuou ainda que, a partir de abril de 2022, as categorias passarão a ter este reajuste integrado ao salário

Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (Foto: Marcello Casal Jr/ABr)

O secretária da Economia do DF, André Clemente, em coletiva à imprensa na tarde desta quinta-feira (14/10), pontuou os motivos pelos quais a terceira parcela do reajuste dos servidores públicos do DF, uma promessa de campanha feita ainda em 2018 pelo atual governador Ibaneis Rocha, ainda não tenha saído do papel.

Para Clemente, tanto a pandemia, quanto a necessidade de aliviar o caixa local contribuíram para que a questão do pagamento desse reajuste deixasse de ser prioridade. O gestor enumerou ainda aspectos como a conclusão das obras em andamento, o período inflacionário, o reequilíbrio dos contratos, o remanejamento de fontes de recursos, o crescimento da folha do funcionalismo público.

“Esse compromisso de campanha já existia desde 2018, e está sendo feito no momento oportuno. A lei já existe, só que o servidor não recebia. Isso foi parar na Justiça, foi adiado, nós tivemos uma pandemia que priorizou alguns gastos, algumas ações”.

O secretário pontuou ainda que, a partir de abril de 2022, as categorias passarão a ter este reajuste integrado ao salário.

“Com a alteração da Lei Orçamentária, o servidor passa a ter essa parcela no contracheque, o ponto crucial era esse, a falta de previsão orçamentária”.