Do Mais Brasília

Mulher é morta a facadas pelo companheiro em Sobradinho II

A vítima de 33 anos foi golpeada em uma via pública do conjunto 16 na Avenida Central; o casal tinha uma filha de 3 anos

fernanda landim

Mais uma mulher do Distrito Federal foi morta a facadas pelo companheiro. Na madrugada desta terça-feira (8/6), Fernanda Landim, moradora de Sobradinho II, perdeu a vida após ser atingida com golpes de faca, desferidos pelo marido. O feminicídio ocorreu por volta das 3h30, em uma via pública do conjunto 16 na Avenida Central.

A mulher de 33 anos chegou a ser socorrida pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O autor do crime, identificado como Gabriel Angelo, 28 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar do DF (PMDF). Quando os militares chegaram ao local, a mulher ainda recebia o atendimento. De acordo com a corporação, o casal tinha uma filha de três anos que ficou sob a guarda da avó materna. A PM tomou conhecimento do fato pela ligação feita ao 190 feita por uma vizinha.

O homem foi encaminhado para a 35ª Delegacia de Polícia.

Planaltina

No último domingo (6/6), uma mulher de 37 anos, morreu vítima de feminicídio, em Planaltina. Leidenaura Moreira Rosa da Silva foi assassinada com golpes de faca pelo ex-companheiro, de 31 anos.

No dia do crime, a mulher chegou a ser socorrido e encaminhada pelo Corpo de Bombeiros (CBMDF) ao Hospital Regional de Planaltina (HRP), mas não resistiu aos ferimentos.

O autor do crime também precisou ser atendido pela CBMDF, após sofrer agressões de moradores da região. Ele foi levado a uma unidade hospitalar sob escolta da Polícia Civil do DF (PCDF) e está preso.

Foto: Reprodução/Instagram

Feminicídio no DF

Somente nos primeiros quatro meses de 2021, foram registrados oito casos de feminicídio no DF. No mesmo período do ano passado, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) havia contabilizado seis ocorrências da mesma natureza. De acordo com a pasta, o enfrentamento ao feminicídio e à violência doméstica é prioridade da atual gestão do governo do DF.

Um raio-x do feminícidio publicado pelo Mais Brasília mostrou estratégias e ações realizadas pela SSP no enfrentamento a este tipo de crime.

Na reportagem a delegada-chefe da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam I), Ana Carolina Litran, afirmou que os casos de feminicídio, em sua maioria, são praticados por pessoas próximas da vítima, como maridos, ex-maridos, namorados e ex-namorados. Litran ainda afirmou que é preciso modificar a cultura machista que ainda é vivenciada na sociedade.

“Nós temos que lembrar que temos uma sociedade ainda muito patriarcal, em que há um papel de gênero desempenhado por mulheres e homens. Geralmente, nesse papel de gênero tem um destaque de forma positiva para as atividades masculinas em detrimento das femininas, algo que é cultural”, explicou.