Da redação
Do Mais Brasília

OAB-GO lamenta a espetacularização em torno da morte de Lázaro

Em nota, o órgão alerta que a divulgação de fotos e vídeos de pessoa morta pode configurar crime

Foto: Reprodução

A Ordem dos Advogados do Brasil de Goiás (OAB) se manifestou , por meio de nota, na tarde dessa segunda-feira (28/6) a respeito da captura de Lázaro. O órgão se solidarizou com as vítimas do fugitivo e também com Lázaro, que teve sua morte celebrada por diversas pessoas nas redes sociais. Até mesmo o Presidente da República, Jair Bolsonaro, ironizou a morte do homem em sua conta do twitter. “LÁZARO: CPF CANCELADO!”, publicou.

Além das celebrações, diversos grupos e páginas estão compartilhando imagens e vídeos do corpo de Lázaro baleado. Na nota, a OAB-GO relembrou sobre a ação configurar crime passível de detenção de um a três anos e multa.

Confira a nota na íntegra

A Ordem dos Advogados do Brasil – seção Goiás (OAB-GO) vem a público informar que acompanha o desfecho das buscas policiais com a consequente morte de Lázaro Barbosa, investigado por vários crimes.

Neste momento, na ausência de informações detalhadas a respeito dos procedimentos de captura, a Ordem solidariza-se com aquelas pessoas vitimadas pelo fugitivo, com a população da região que se sentia atemorizada, assim como com os agentes de segurança que participaram das buscas.

Ainda, lamenta a espetacularização e a celebração da morte ao alertar que a divulgação de fotos e vídeos de pessoa morta pode configurar-se crime, conforme o artigo 212 do Código Penal, passível de detenção de um a três anos e multa.

No mais, a OAB-GO aguarda a investigação da Polícia Civil que irá apurar, dentre outros pontos, se as circunstâncias da morte do foragido ocorreram nos limites da legalidade.