Do Mais Brasília

PCDF investiga suspeita de assédio sexual cometido por fotógrafo

Modelo expôs denúncias após sessão de fotos realizada em março deste ano

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM I) da Polícia Civil do DF apura um possível caso de assédio sexual cometido por um fotógrafo, em Águas Claras. As investigações começaram com o registro da ocorrência, nesta terça-feira (8/5).

Uma modelo, de 24 anos, trouxe o caso à tona após sofrer as condutas do suspeito, que ela procurou para realizar uma sessão de fotos no estúdio, em março deste ano. De acordo com a denúncia, o assédio começou quando o fotógrafo teria tocado na vítima, alegando que fazia parte do trabalho.

Depois do ensaio, o suspeito enviou mensagens por WhatsApp, nas quais pedia imagens das partes íntimas da modelo. No fim, no último dia 1º de maio, o fotógrafo avisou que não tinha mais interesse em contratá-la, ficou com as fotografias da vítima em seu poder e não efetuou o pagamento pelos serviços prestados.

Segundo a delegada da DEAM, Simone Alencar, contra o suspeito ainda pesam o depoimento de uma testemunha neste caso, além de outras denúncias de diferentes suspeitas de assédio, cometidos também contra adolescentes.

“O autor vai apresentar a sua versão dos fatos. A ocorrência está em investigação e eventuais vítimas menores de idade serão ouvidas em procedimento de oitiva especializada”, afirmou Simone.

A modelo e enfermeira que registrou a ocorrência na última terça-feira se chama Jeniffer Melina, de 24 anos. Em seu Instagram, ela juntou stories que expuseram o caso contra o fotógrafo, além de outras denúncias de mulheres que vieram à tona depois que ela contou sua história.