Do Mais Brasília

PCDF prende homem que fingia ser rico para se aproveitar de mulheres que conheceu em site de relacionamento

Operação da Polícia Civil prendeu suspeito de cometer crimes sexuais e ameaças contra em pelo menos sete casos no DF

Divulgação/PCDF

Um homem suspeito de aplicar golpes contra mulheres que conhecia na internet acabou preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), na noite desta terça-feira (11/05).  As investigações da Delegacia da Mulher I (Deam I) apontam que o homem de 45 anos prometia bancar uma vida de luxo às interessadas ao estilo ‘sugar daddy’, mas depois cometia crimes sexuais e ameaças contra elas. Ele é acusado de ter praticado esses crimes, pelo menos,  contra sete mulheres em diferentes cidades do DF. O suspeito foi preso em Goiânia.

De acordo com a delegada-chefe da Deam I, Ana Carolina Litran, o suspeito abordava mulheres, numa faixa etária média de 21 anos de idade, em um site específico para relacionamentos que conectava “homens ricos a mulheres lindas”.

“‘Sugar daddy’ é o termo em inglês que se refere à pessoa bem-sucedida, enquanto ‘sugar baby’ define as pessoas, na maioria mulheres jovens, que buscam esse tipo de relação com presentes e viagens.”

As conversas começavam no site, onde ele se passava por dono de posto de gasolina, para depois marcarem encontros nos motéis. A relação entre o suspeito e as vítimas começava de forma consensual, mas, segundo a polícia, depois ele praticava atos sexuais contra a vontade das mulheres, de forma violenta, e realizava até filmagens sem o conhecimento delas.

Dias depois dos encontros, o homem utilizava essas imagens para chantagear as vítimas, forçando a realização de videochamadas para mais atos libidinosos. Caso elas negassem, o homem ameaçava divulgar o vídeo do primeiro encontro a amigos e familiares. Uma das denunciantes chegou a sofrer com o que a polícia chama de “estupro virtual”, que é quando um suspeito força pessoas a praticar este tipo de relação sexual pela internet.

Segundo Ana Carolina, o suspeito cometeu os crimes em seis cidades do DF (Candangolândia, Taguatinga, São Sebastião, Planaltina, Plano Piloto e Gama), além da ocorrência por videochamada que aconteceu em 2020. “Esse autor foi preso preventivamente. Ele é alvo dessas investigações e agora ficará à disposição da Justiça”, explicou.