Ana Lúcia Ferreira
Do Mais Brasília

Polícia apura detalhes sobre carta encontrada com Lázaro Barbosa

Documento tem posíveis trechos sobre a morte da família Vidal e ainda contém um pedido de ajuda para conseguir munição

A Polícia Civil de Águas Lindas de Goiás (GO), apura se o conteúdo de uma carta encontrada com Lázaro Barbosa, morto em confronto com a polícia após 20 dias de fuga, traz detalhes sobre a morte da família Vidal Marques.

No manuscrito, ainda sujo de sangue e localizado no bolso da roupa que o homem usava tem um trecho em que ele descreve detalhes sobre “uma situação”, que a polícia acredita ser o crime no Incra 9, ocorrido no Distrito Federal.

“O cara tava armado e, antes de eu conseguir enquadrar a vítima, ainda conseguiu avisar uma pessoa, que quando eu vi já foi só os tiros (sic)”, escreveu.

Assim como a carta, a PCGO também procura respostas para a quantia – R$ 4 mil – encontrada com o homem. Pela situação financeira da família e a realidade dos fatos, a investigação entende que alguém forneceu o dinheiro para facilitar a fuga do criminoso.

Além de possíveis esclarecimentos sobre a chacina de Ceilândia, o documento traz também um pedido para munição. Segundo o documento, Lázaro narra que não tinha interesse em se entregar e que já tinha participado de dois confrontos com a polícia, o que o teria deixado sem o recarregamento necessário para seguir com a fuga.

“Já tive dois confrontos com eles e estou zerado de munição. Cara, por favor, arruma o tanto de munição de 38 e 380 pra mim. Eu tenho 35 muniçãoes de 380 (sic)”.

Uma das linhas de investigação é que o homem atuava como ‘jagunço’ e fazia parte de uma organização criminosa com políticos, empresários e fazendeiros envolvidos”, segundo a delegada da Polícia Civil de Goiás, Rafaela Azzi.

O que diz a Secretaria de Segurança Pública

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) informou que as investigações sobre o caso seguem com a Polícia Civil de Goiás e que a corporação apura a participação e o envolvimento de outras pessoas em crimes cometidos por Lázaro Barbosa de Sousa, na região de Cocalzinho de Goiás.

A SSP-GO também ressaltou que é de conhecimento da polícia que Lázaro teve acesso a internet para monitorar e acompanhar as notícias sobre o seu paradeiro, bem como as manobras policiais.

A secretaria ainda destaca que a força-tarefa tentou a todo momento a rendição do foragido. O homem foi morto com 39 disparos conforme laudo pericial.

Veja a carta na íntegra:

Carta encontrada com Lázaro Barbosa pode ter detalhes do crime ocorrido em Ceilândia. Documento ainda tem um pedido de ajuda para conseguir munição. Foto: PCDF/Divulgação

Crimes e fuga

Lázaro Barbosa Souza, 32 anos, era suspeito de cometer crimes em série. No Distrito Federal, ele começou a ser procurado após matar, no dia 9 de junho, com golpes de faca e tiros Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. A família era moradora de uma chácara no Núcleo Rural Alexandre Gusmão, no Incra 9, em Ceilândia. No dia deste crime, a mãe e esposa das vítimas, Cleonice Marques, 43 anos, foi levada pelo autor do crime. O corpo dela foi encontrado três dias depois,  próximo a um córrego localizado no Sol Nascente, no local conhecido como Córrego das Corujas no meio da mata entre a BR-070 e a DF-180. O córrego ficava a 8km da chácara da família.

As buscas por Lázaro Barbosa tomaram novo rumo após a polícia identificar e prender duas pessoas que estariam o ajudando na fuga. O fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, 74 anos e, o caseiro dele, Alain Reis de Santana, 33 foram detidos por dar guarida para o criminoso. Em depoimento, o caseiro colaborou com a investigação e deu detalhes sobre o suporte dado ao foragido. Ele contou que foi coagido pelo dono da propriedade e ameaçado pelo suspeito dos crimes em série para não contar sobre seu paradeiro. Após essas informações, a polícia fechou novamente o cerco nas buscas por Lázaro.

Lázaro estava escondido, em uma região da periferia de Águas Lindas de Goiás (GO), próximo à casa da ex-sogra. Após o confronto, ele chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Municipal Bom Jesus, mas morreu no local. A morte foi confirmada pela Polícia Civil e pelo Comando da Polícia Militar de Goiás.

Bastante extensa, a ficha criminal de Lázaro Barbosa inclui, em seu estado de origem, na Bahia,  dois homicídios cometidos, em 2007, quando ele tinha cerca de 18 anos, na cidade de Barra do Mendes, a 573 km da capital Salvador.