Do Mais Brasília

Polícia prende nove pessoas em operação que investiga golpe do falso financiamento

Quadrilha tem loja em prédio no Pauer e mais de 100 funcionários preparados para aplicar golpes em pessoas pobres que desejam comprar carros

Quadrilha tem loja em prédio no Pauer e mais de 100 funcionários preparados para aplicar golpes em pessoas pobres que desejam comprar carros

Uma operação da 12ª Delegacia de Polícia (DP) prendeu, na tarde desta sexta-feira (11/06), integrantes de uma quadrilha que atuava fraudando dados bancários das vítimas, com a promessa de ser possível aumentar o score pessoal de quem está negativado e não tem crédito para comprar carro diretamente numa concessionária.

‘A Consult Score é uma quadrilha especializada em coagir, manipular, persuadir, enganar e roubar vítimas que estão com nome negativado, sem crédito. Eles são uma verdadeira organização criminosa, numa das lojas deles havia 60 pessoas trabalhando, na outra, em Taguatinga, mais 45 pessoas. Eles não vendem nada. Se a você for lá na loja deles e quiser comprar à vista, qualquer um dos carros anunciados, eles não deixam. Sabe por quê? Porque o carro não existe. É um anúncio fake. É para poder ter acesso a todos os dados das vítimas”, afirma o delegado da 12º DP e responsável pela investigação e pela prisão da quadrilha, Josué Pinheiro.

Quem ouve os discursos do CEO da Consult Score, Gustavo França, acredita ser possível mesmo aumentar o score. “Eles falam muito bem, tem muitas mulheres e homens bonitos trabalhando para eles, seduzem as pessoas. E dizem que a pessoa (vítima) precisa mudar o ‘comportamento de crédito’ dela para alcançar um score alto. Agora, eu pergunto: como? Se a pessoa não tem dinheiro. Como a pessoa fará isso? É impossível, é golpe, roubo. Estão roubando pessoas pobres”, esclarece o delegado Pinheiro.

Pinheiro pontua ainda que os anúncios são extremamente bem elaborados. E também por isso se torna difícil de pegar esse tipo de golpista. “Há funcionários para criar estes anúncios fake. Esses anúncios vão até para a OLX. E os anúncios são muito atrativos. Eu estou trabalhando nessa investigação há mais ou menos quatro meses, foram mais de 100 ocorrências. Sabe como consegui pegá-los? Montamos uma armadilha em que a vítima comprou o próprio carro. Eles clonaram tudo dessa vítima. Ela perdeu o carro e depois eles ofereceram a ela o carro dela, o carro que eles roubaram dela”, explicita o delegado. (Por Paula Coutinho, do Mais Brasília)