FolhaPress

SP tem forte movimento de bares no 1º dia de funcionamento até 23h

Os estabelecimentos também puderam receber clientes com até 60% de suas lotações

Foto: Joan Sehn/Tradicional restaurante de São Paulo

A região de Pinheiros, zona oeste de São Paulo, foi tomada por forte movimento em bares nesta sexta-feira (9), dia em que o governo João Doria (PSDB) permitiu a expansão do horário de funcionamento de bares e restaurantes, das 21h para 23h.

Os estabelecimentos também puderam receber clientes com até 60% de suas lotações, ante os 40% dos meses que seguiram o período de reabertura, após recuo para a fase laranja do Plano São Paulo em abril. O estado atualmente na fase de transição, até 31 de julho, com toque de recolher das 23h às 5h.

Houve grande concentração de pessoas sem máscaras especialmente em ruas como a Mourato Coelho a Guaicuí. Havia aglomeração mesmo após as 23h. Os bares começaram a recolher as cadeiras e mesas na calçada às 22h30, mas o movimento continuou até 23h15, especialmente porque os ambulantes permaneceram trabalhando, vendendo bebidas, cigarro, comidas, roupas, artesanatos e outros artigos de consumo.

Neste horário, os ambulantes foram se dispersando por causa da atuação de fiscais.

Diversos bares, durante a noite, operavam com lotação acima do permitido, com bandas tocando ao vivo e público despreocupado com protocolos de distanciamento social.

Uma estudante de 21 anos, que usava máscara, disse que não temia riscos de infecção. “As pessoas não aguentam mais ficar isoladas”, justificou. Ela diz, porém, que evita ficar a menos de 1,5 m de outros pedestres, o que parecia ser uma realidade inexistente na mesma esquina em que ela se encontrava, próxima ao largo da Batata.