Do Mais Brasília

Suspeito de dar golpe de R$ 1 bilhão no DFTrans é preso em Goiás

Empresário estava foragido e foi indiciado na Operação Trickster por fraudes em bilhetes de transporte público

Empresário estava foragido e foi indiciado na Operação Trickster por fraudes em bilhetes de transporte público

Um empresário de 45 anos foi preso na manhã desta segunda-feira (12), em Niquelândia, a 360 quilômetros de Goiânia. Ronaldo de Oliveira é acusado de participar de esquema de fraudes no antigo DFTrans, que cuidava do transporte público do Distrito Federal. O rombo aos cofres públicos foi de mais de R$ 1 bilhão. No ano passado ele teve um mandado de prisão expedido pelo Superior Tribunal Federal (STF), mas estava foragido.

A Polícia Militar conseguiu abordar e prender o empresário que estava em uma camionete Hillux, na Avenida Contorno, no Bairro Boa Vista, após receber denúncias anônimas. Pelo que apuraram os policiais, desde quando teve sua prisão decretada, o foragido construiu um posto de combustíveis e passou a morar em Mimoso de Goiás, cidade de onde poderia fugir com mais facilidade para qualquer outro estado.

Ronaldo era dirigente de uma cooperativa no Distrito Federal e foi denunciado na Operação Trickster, que investigou um esquema de aquisição de cartões de vale-transporte especial e estudantil por valores inferiores aos originais. Grupo acionava validadores de viagens para simular o transporte de passageiros, o que gerava créditos por serviços não prestados. Entre janeiro de 2017 e março de 2018, o esquema criminoso teria rendido à quadrilha mais de R$ 1 bilhão.

O empresário que foi preso hoje em Niquelândia, segundo a denúncia, era quem oferecia vantagens indevidas ao coordenador da unidade de bilhetagem automática. A prisão dele já foi comunicada à Justiça do Distrito Federal. A reportagem do Mais Goiás não conseguiu o contato da defesa do empresário.