Do Mais Brasília

Terça-feira de retorno dos ônibus às ruas do DF

Sindicato alerta, no entanto, que novas paralisações podem ocorrer, caso o governo não inclua categoria nos grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19

A manhã desta terça-feira (4/5) será marcada pela retomada da operação dos ônibus no Distrito Federal. De acordo com o sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros Urbanos, Interestaduais, Especiais, Escolares, Turismo e Carga do Distrito Federal (Sittrater-DF), transporte público voltará a funcionar normalmente.

Segundo a direção do sindicato, por ora não há nenhum ato programado. A entidade alerta, no entanto, que haverá desde já discussões sobre os próximos passos do movimento. E, ainda segundo o Sittrater-DF, uma nova paralisação depende da posição do Governo do Distrito Federal (GDF).

Em outras palavras, se o governo não incluir a categoria nos grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19, novas greves não estão descartadas, como forma de pressionar o GDF a promover a imunização de motoristas e cobradores.

“A paralisação dos trabalhadores foi motivada porque o GDF mudou promessa feita à categoria que a incluía no calendário de vacinação prioritariamente. Após este anúncio, o GDF alterou o discurso e passou a informar que somente após vacinar as forças de segurança e professores, os trabalhadores do transporte entrariam na fila. Ocorre que, com a falta de vacinas, isso só viria a ocorrer dentro de longo prazo. A direção do sindicato entende que a categoria tem grau muito elevado de exposição e auto índice de contaminação, e por esta razão, tentou modificar o entendimento do GDF, mas sem sucesso”, explicou.

No último sábado (1°), o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) se posicionou no sentido de suspender a greve. Ação Civil Pública (ACP) apresentada pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF) foi acolhida, determinando multa de R$ 1 milhão caso houvesse descumprimento.