Do Mais Brasília

Vacinas da Pfizer começam a ser aplicadas no DF

O imunizante é destinado para pessoas com comorbidades previamente agendadas no site da Secretaria de Saúde

Profissional de saúde do DF manuseando vacina da Pfizer
Secretaria de Saúde começa a aplicar vacina da Pfizer no DF

As 5.850 doses da Pfizer/BioNTech, destinadas aos moradores do Distrito Federal, começam a ser aplicadas nesta segunda-feira (10/5). O primeiro lote do imunizante desembarcou no dia 3 de maio, mas não estava sendo utilizado na população, uma vez que ele necessita de um preparo diferente das outras vacinas.

A Secretaria de Saúde do DF informou que não vai divulgar os postos de vacinação que irão aplicar a vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech. Segundo a pasta, o objetivo é “reforçar que não importa a marca, o importante é vacinar”.

“Iniciamos o uso da vacina da Pfizer e, mais uma vez, peço para aqueles que estão no grupo de risco contemplado com a vacina que agende o atendimento ou, no caso dos idosos, que procurem um dos 55 pontos e vacinem-se. Não importa qual vacina é oferecida, o importante é se vacinar e garantir a proteção”, recomenda o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

 

Novas doses da Pfizer

No domingo (9/5), o Ministério da Saúde informou que distribuirá mais um lote com 1,1 milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech para todos os estados e o DF, a partir desta segunda-feira (10/5). De acordo com a pasta, os imunizantes serão destinados para a primeira aplicação em pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente.

Segundo o governo, a vacina está armazenada no Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, climatizada a uma temperatura de -90°C a -60°C. “Ao serem enviadas aos estados, as vacinas estarão expostas a temperatura de -20°C. Nas salas de vacinação, onde a refrigeração é de +2 a +8°C, as doses precisam ser aplicadas em até cinco dias”, afirma a pasta.

Diante disso, a Saúde orienta que, neste momento, a imunização com o imunizante da Pfizer “seja realizada apenas em unidades de saúde das 27 capitais brasileiras, de forma a evitar prejuízos na vacinação e garantir a aplicação da primeira e segunda doses com intervalo de 12 semanas entre uma e outra”.