Do Mais Brasília

Variante de Manaus da Covid-19 é predominante no DF, diz Saúde

Pesquisa foi realizada pelo Lacen, em parceria com pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB)

Teste de Covid-19, no DF
Foto: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informou que todas as análises do último sequenciamento genômico tiveram resultado em 92 amostras para a cepa P1, conhecida como a variante brasileira com primeiros casos registrados em Manaus.

A pesquisa foi feita pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em parceria com pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB). A pasta informa que vem desenvolvendo novas estratégias de sequenciamentos capazes de subsidiar o monitoramento de variantes virais do novo coronavírus circulante no Distrito Federal.

De acordo com a Saúde, o trabalho teve início em janeiro e os primeiros resultados saíram em fevereiro deste ano. Até o momento já foram sequenciadas 490 amostras. As amostras são selecionadas respeitando os critérios da Nota Técnica nº 1/2021, que trata da seleção de amostras para sequenciamento genômico do Sars-CoV-2.

Os critérios de seleção das amostras para testar se há novas cepas são: casos de reinfecção; óbitos; pacientes sem comorbidades com evolução para formas graves da doença. O sequenciamento é realizado dentro do próprio laboratório do Lacen com as amostras de RT-PCR para Covid-19 coletadas nas unidades públicas de saúde que são encaminhadas a instituição.

“Os resultados de sequenciamento permitem conhecer as rotas de circulação do vírus, através da identificação de diferentes variantes e linhagens de transmissão, ou seja, localidades em que o vírus está circulando em maior quantidade, em diferentes regiões geográficas ou até mesmo bairros, e então saber onde é preciso intervir de maneira mais intensiva com diferentes medidas, como o isolamento social e outras medidas não farmacológicas”, explica a diretora do Lacen, Grasiela Araújo.