Do Mais Brasília

Volta às aulas: UnB aprova uso do passaporte de vacina contra Covid-19

Comprovante deverá ser apresentado na Biblioteca Central e no Restaurante Universitário

Foto: Beto Monteiro / Secom UnB

O Conselho de Administração (CAD) da Universidade de Brasília (UnB) aprovou, nesta quinta-feira (11/11), a exigência da apresentação do passaporte de vacina contra a Covid-19 para acessar a Biblioteca Central (BCE) e o Restaurante Universitário (RU), do campus Darcy Ribeiro. A resolução entra em vigor 15 dias após a sua publicação.

“Vamos continuar fazendo o melhor que a gente puder, juntos, para que esse retorno seja da forma mais cautelosa e segura possível. Os desafios são enormes, mas sabemos que a Universidade de Brasília está preparada. Cada unidade tem planejada a retomada presencial de suas atividades”, disse a reitora Márcia Abrahão.

Como parte dos conselheiros posicionou-se a favor do chamado “passaporte de vacina” para acessar todos os espaços da UnB, a resolução foi aprovada em duas votações. A maioria votou por manter o texto original, que exige a obrigatoriedade de vacinação para acesso ao RU e BCE e reconhece a autonomia dos conselhos das unidades e centros para deliberar.

“Na Faculdade Direito (FD) nós fizemos essa discussão e decidimos não deliberar sobre máscara e vacinas porque temos dúvidas se podemos legislar sobre isso. Há uma posição muito firme a favor do uso de máscara e da vacinação, mas acredito que podemos fortalecer isso com as campanhas de comunicação para sensibilizar a comunidade”, comentou a diretora da FD, Daniela Moares.

No dia 4 de novembro, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da UnB aprovou a retomada parcial das aulas presenciais na instituição. A medida começa a valer no próximo semestre, previsto para começar em 17 de janeiro de 2022.

Vacinação

A UnB está com uma pesquisa social em curso e o resultado preliminar demonstra que 98% dos estudantes estão completamente imunizados ou já tomaram a primeira dose contra a Covid-19. Entre os técnicos, 97%, e entre os docentes, 99%.

“Os números mostram um compromisso bastante grande dos três segmentos com a vacinação, com diferenças muito provavelmente associadas à idade dos grupos e às etapas da vacinação ainda em curso”, avaliou o decano da Pós-Graduação da UnB e coordenador da pesquisa, Lúcio Rennó.

Remoto

De acordo com a Resolução, servidores responsáveis por cuidados com pais idosos ou com filhos de até dois anos que não frequentam escolas podem permanecer no trabalho home office. Além disso, deverão permanecer em casa, por meio de autodeclaração, pessoas tabagistas, obesos e maiores de 60 anos.

As unidades administrativas e acadêmicas deverão disponibilizar, em seus canais oficiais, a quantidade total de trabalhadores em regime presencial e em regime remoto. O Decanato de Gestão de Pessoas encaminhará às unidades acadêmicas e administrativas as orientações para cumprimento da Resolução.