Do Mais Brasília

Zoonoses tem 16 cachorros e 10 gatos para adoção no DF; veja fotos

Para adotar, é necessário ser maior de 18 anos e assinar termo de responsabilidade. Todos os bichinhos de estimação foram vacinados contra a raiva

Zoonoses
Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Quem tem interesse em adotar um bichinho de estimação pode aproveitar a oportunidade agora. A gerência de Vigilância Ambiental de Zoonoses está com 16 cachorros aptos para adoção. São seis machos e 10 fêmeas. Para os apaixonados por felinos, também há 10 gatos disponíveis, sendo dois machos (um filhote) e oito fêmeas (três filhotes).

Os cães já realizaram exames para leishmaniose e foram vacinados contra a raiva. Além disso, também foram tratados contra possíveis parasitas, como pulgas e carrapatos. Os gatos além de receberem a vacina contra a raiva, também foram testados para FIV e FeLV.

O gerente de Zoonoses, Rodrigo Menna, explica que as pessoas devem preencher o cadastro de interesse em adotar no site Amigos da Zoonoses. Para adotar, é necessário apresentar documento de identificação com foto, ter acima de 18 anos e assinar um termo de responsabilidade se comprometendo a cuidar bem do animal.

51316514339_9d81caaff3_k Foto: Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF
51316514214_18697b3f27_k Foto: Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF
51316792790_1558b6be32_k Foto: Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF
51315994333_8d67a98f1c_k Foto: Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF
51315783236_7b78ba2ad7_k Foto: Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF
51315046557_a4114943a4_k Foto: Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF
INTERNA-Foto-Breno-Esaki-4-5 Foto: Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Adoção

A adoção de um animal implica custos financeiros, pois além de alimentá-lo, também é preciso fazer exames anuais, aplicar as vacinas necessárias e administrar vermífugo. No caso dos cães, além de aplicar remédio contra pulgas e carrapatos, também é indicado utilizar repelente de flebótomo, conhecido como mosquito-palha (transmissor do parasita da leishmaniose visceral canina).

“São animais dóceis e considerados adultos jovens, a maioria de porte médio. Temos alguns que já são mais velhos, com até 6 anos. Todos eles estão em condições de ser adotados. São animais que foram abandonados e alguns são vítimas de maus-tratos”, ressalta Rodrigo Menna.

Para quem deseja adotar um bichinho deve comparecer à Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), no Setor de Áreas Isoladas Norte (Sain), Lote 4, Estrada do Contorno Bosque, Noroeste. O horário de visitação é das 11h às 16h, de segunda a sexta-feira.

No momento da adoção, o interessado recebe orientações quanto à guarda responsável de animais domésticos e às medidas de prevenção e controle de doenças. Antes de ser doado, cada bichinho fica em observação por 10 dias e é vacinado contra a raiva. Os cães também fazem testes para identificar possíveis casos de leishmaniose.

Segundo Menna, quem tiver interesse em castrar seu animal deve avisar na hora da adoção, pois existe uma parceria da Zoonoses com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), em que eles ligam e agendam a castração gratuitamente. “Quem tem mais pressa pode entrar em contato com alguma das clínicas parceiras da Zoonoses que cobram um valor menor pela castração”, afirma.

Os especialistas recomendam ainda levar o animal sempre ao médico veterinário para um check-up clínico anualmente, além de realizar imunoprofilaxia para prevenir as doenças infecciosas que acometem cães e gatos. Também é recomendado utilizar coleiras impregnadas com inseticidas que contenham repelentes.