Do Mais Brasília

Artistas promovem lives sobre inclusão no cenário teatral do DF; veja como participar

Serão três lives que vão acontecer sempre às quartas-feiras, a partir das 20h

Foto: Leonardo de Souza

A equipe de produção do espetáculo “Somos Como Somos e Não Cromossomos” promoverá uma série de lives para falar sobre o processo criativo da peça e sobre a inclusão de pessoas com deficiência. Prevista para estrear em dezembro, a apresentação é estrelada pelo ator brasiliense Lucio Piantino, que tem Síndrome de Down e usa a arte para expressar as suas experiências.

Ao todo, serão três lives que vão acontecer sempre às quartas-feiras, a partir das 20h. A primeira acontece hoje (17/11). Na ocasião, o ator, juntamente com a diretora de produção, Lurdinha Piantino; e a diretora de palco, Mônica Gaspar, contam como surgiu o projeto que começou a ser executado em agosto de 2020, e os desafios de uma produção teatral em meio à pandemia de Covid-19.

“Neste espetáculo, juntamente com a minha equipe, quero mostrar que as pessoas com deficiência são capazes de fazer um trabalho de qualidade e que as diferenças devem ser respeitadas. A ideia não é que somos todos iguais, e sim, o contrário: somos todos diferentes. Diante disso, as diferenças não devem ser encaradas como algo negativo, não existe certo e errado, existe apenas diferente”, explica Lurdinha Piantino.

No dia 24 de novembro, o público poderá acompanhar os coreógrafos Fred Magalhães, Rafael Alves e Filipe Fiákra numa roda de conversa sobre a fase de elaboração das coreografias. Durante toda a peça, são explorados diversos ritmos de dança, como o hip-hop e música eletrônica (com forró), além de pop e funk. A trilha sonora do espetáculo também conta com música instrumental.

Joana Piantino, contra-regra do espetáculo e irmã de Lucio, irá mediar o bate papo. Ela conta que o ator ama dançar desde criança, e que a dança representa a sua liberdade de ser como é.

“Lucio já fez aulas de danças urbanas, porém mais do que decorar coreografias, ele gosta mesmo é de dançar do seu jeito, se expressando livremente. Ele tem facilidade em aprender coreografias e vive para cima e para baixo com fones de ouvido, dançando em casa ou em espaços públicos, sem se importar se os outros estão olhando. Na verdade, ele até prefere que olhem, porque ele sempre amou a plateia”, afirma Joana.

Na última live, que acontece no dia 1º de dezembro, a equipe irá falar sobre a construção do espetáculo: montagem e escolha da estrutura, cenário, maquiagem, som e trilha sonora. Os convidados são Anna Moura, operadora de som e trilha sonora; Ana Quintas, responsável pela iluminação; Andyva Diva, maquiadora; e Joana Piantino, contra-regra.

Para acompanhar as lives, os interessados devem acessar a página da peça no Instagram.