Do Mais Brasília

“Brasília Museu Aberto” se encerra quinta-feira (25), com projeções no Panteão da Pátria

Todo o conteúdo dessa edição estará disponível na internet

A exposição virtual “Brasília Museu Aberto” se encerra com projeções no Panteão da Pátria, quinta-feira (25/11), das 19 h às 22h. A abertura do evento ocorreu com projeções mapeadas e em três ocasiões: na cúpula do Museu da República, no dia 26 de outubro; na Casa do Cantador, em Ceilândia, no dia 18 de novembro e no Museu Histórico e Artístico de Planaltina, no dia 23 de novembro.

O projeto é fruto da exposição original “Brasília- Da Utopia à Capital”, que já foi apresentada em 12 países e que agora se adaptou a um novo formato, mas sem perder sua importância e reunindo um rico acervo, que representa brilhantemente o que há de melhor na recente história da arte brasileira.

Todo o conteúdo dessa 2ª edição estará disponível na internet através do site da mostra www.brasiliamuseuaberto.com.br, no instagram @brasiliamuseuaberto e também no facebookBrasiliautopiacapital.

São documentos e fotos históricas e atuais, obras de artistas plásticos que viveram essa grande epopeia que foi a construção da capital no planalto central, e de artistas contemporâneos, que representam o pensamento modernista de uma época, em que Brasília se tornou um marco, com projeto urbanístico único criado por Lúcio Costa e as linhas curvas que fizeram o arquiteto Oscar Niemeyer despontar para o mundo.

Graças a seu caráter único e inovador, o projeto Brasília Museu Aberto resgata, de forma efetiva, a essência da corrente de pensamento que defende um acesso mais amplo e democrático as artes e a cultura. Ao mesmo tempo, esta proposta busca estimular a ressignificação do espaço público a partir das plataformas digitais, e exibições em grande formato em locais estratégicos do DF. Assim, visa a potencializar a dimensão de pertencimento do expectador, aproximando-o de conteúdos da sua própria história”, afirma Danielle Athayde, curadora do projeto.

Nessa dimensão, o território ressurge como cenário lúdico para a apreciação simbólica de um museu a céu aberto. O espaço exterior, a urbs, transforma-se num palco natural e reforça, a partir da mensagem artística, o elo entre o cidadão e o espaço que ocupa.

As projeções serão realizadas sempre das 19h às 22h e o acesso é gratuito.

O projeto artístico virtual que será mostrado conta com esculturas de Maria Martins, Bruno Giorgi, Marianne Peretti, Victor Brecheret e Alfredo Ceschiatti, pinturas de Carlos Bracher e Alex Flemming, Tarciso Viriato e Galeno, desenhos de NauraTimm,instalacões e esculturas de Siron franco, imagens de Ronaldo Duque, além de fotografias de Marcel Gautherot, Mario Fontenelle, Peter Scheier, Gabriel Gondim, Raymond Frajmund,ÂkeBorglund, Rui Faquini, Fabio Colombini, João Facó, Orlando Brito e Celso Junior, entre outros.

Coleção Brasília

Um dos destaques do projeto é o acervo formado pelo casal Izolete e Domício Pereira — considerados pioneiros em razão de residirem na nova capital desde 1959, onde exerceram cargos no governo federal e na Novacap (companhia responsável pela construção da cidade) — reúne um raro acervo administrado pelo curador Cláudio Pereira, filho do casal.

Composto por obras de diversos períodos da arte brasileira e internacional, a coleção reúne gravuras, fotografias, desenhos, pinturas, esculturas, documentos e objetos que representam um recorte das artes visuais do período e da estética modernista que se estabeleceu no Brasil nas décadas de 1950 e 1960.