Do Mais Brasília

Segunda etapa do festival de filmes ‘Lobo Fest’ começa nesta terça (23)

Evento gratuito e online vai até 27 de novembro com a exibição de curtas-metragens

Foto: Divulgação/Lobo Fest

O Lobo Fest (Festival Internacional de Filmes) realiza, a partir desta terça-feira (23/11), a segunda etapa da sua 13ª edição, com uma programação on-line, que poderá ser assistida gratuitamente no site do evento. O projeto contará com a exibição de produções de curtas-metragens.

As 54 produções da programação do 13º Lobo Fest foram escolhidas entre 4 mil obras, brasileiras e internacionais, inscritas na plataforma Film Freeway. Entre elas, filmes de nações pouco ou nada representadas nas telas de cinema de Brasília. A curadoria foi realizada pelos produtores do festival, Josiane Osório e Ulisses de Freitas. Também será exibido como programação especial o filme convidado “Rua Ataléia” , de André Novais Oliveira.

“Foi tarefa árdua, lenta, mas prazerosa”, comenta Ulisses sobre a seleção de filmes. “Queremos sempre trazer o mundo para Brasília e, agora, para o Brasil, uma vez que a competição será exibida via internet”, continua o curador.

“A programação traz desde pequenas obras clássicas até experimentalismos, passando por documentários do presente e um conjunto múltiplo e diverso de animações”, complementa Josiane.

A primeira etapa do festival foi realizada no Riacho Fundo, em 29 e 30 de outubro, quando foram exibidos 21 filmes, brasileiros e estrangeiros, divididos em quatro programas, com dramas, comédias e animações, voltados para toda a família e com classificação indicativa livre.

Homenagem

Nesta edição, o 13º Lobo Fest vai homenagear a húngara Márta Mészáros, primeira mulher a ganhar o Urso de Ouro no Festival de Cinema de Berlim, em 1976. Aos 90 anos, só recentemente teve sua obra reconhecida no Brasil. No dia 27 de novembro, encerramento do festival, haverá exibição da sua última obra, Aurora Boreal: Luzes do Norte (2017), que ficará disponível apenas nesta data.

Nascida em Budapeste, em 19 de setembro de 1931, filha do escultor vanguardista László Mészáros, Mészáros. Foi criada em um orfanato russo depois de perder o pai e a mãe. Voltou para a Hungria após a guerra. Iniciou a sua carreira ao trabalhar com cinema documental. Estreou na direção com A Garota (1968), o primeiro filme húngaro dirigido por uma mulher, que ganhou o Prêmio Especial do Júri no Festival Internacional de Cinema de Valladolid. Com “A adoção”, de 1976, Marta Mészáros ganha o mundo ao conquistar o prêmio máximo em Berlim.

A suas obras são protagonizados por mulheres fortes, em especial em seus filmes-diários que compõem a trilogia formada por “Diário para minha criança” (1984, prêmio do júri no Festival de Cannes), Diário para meus amores (1987) e Diário para meu pai e mãe (1990).

Serviço

Data: entre 23 e 27 de novembro
Programação: Gratuita
Transmissão: www.lobofest.com.br