FolhaPress

Agências da Caixa têm filas no 1º dia do Auxílio Brasil em São Paulo

A maioria em busca de mais informações, na esperança de ter aumento na renda

Agência da Caixa
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O primeiro dia do pagamento do Auxílio Brasil, que substitui o Bolsa Família, tem filas de até duas horas de espera em agências da Caixa na zona leste da capital. A maioria em busca de mais informações, na esperança de ter aumento na renda. Há ainda beneficiários do auxílio emergencial sacando a última parcela.

Nas agências visitadas pela reportagem, ninguém passou a noite na fila. As pessoas começaram a chegar depois das 7h30 desta quarta (17/11), meia hora antes de as agências abrirem, e as filas aumentaram perto da hora do almoço.

Quem recebia o Bolsa Família passa a ter o novo benefício automaticamente. É o caso de Maria Silvia da Silva Oliveira, 32 anos. Desempregada, a faxineira estava recebendo o auxílio emergencial no lugar do Bolsa Família e foi à agência da avenida Sapopemba, 13.446, em São Mateus, sacar o novo benefício social,
“Vi no aplicativo do Bolsa Família que vou receber R$ 149, mas estou achando muito pouco. Recebia R$ 130 de Bolsa Família”, afirmou Maria.

Roberto Domingos Nogueira, 42 anos, está desempregado desde 2019 e recebeu as sete parcelas do auxílio emergencial no lugar do Bolsa Família. Sem celular, foi à agência descobrir se irá receber o Auxílio Brasil e qual será o valor.

“Antes da pandemia, eu pegava reciclagem. Hoje, faço bicos e sobrevivo com os R$ 250 do auxílio. Quero saber se vou receber apenas os R$ 91 de antes”, disse.

Quem recebia o Bolsa Família passa a ter o Auxílio Brasil automaticamente, segundo o Ministério da Cidadania. Além da renda básica, é possível que cada família receba benefícios complementares, que variam entre R$ 100 e R$ 200. O Auxílio Brasil pagará até seis benefícios complementares.

De acordo com a Caixa, os cartões e as senhas utilizados para saque do Bolsa Família continuarão válidos e poderão ser utilizados para o recebimento do Auxílio Brasil. Os beneficiários com conta-poupança digital irão receber diretamente pelo Caixa Tem.

A beneficiária Nelci Dias do Nascimento, 60 anos, aguardou quase 2 horas na fila em Itaquera, com atendimento preferencial. Ela conta que não conseguiu gerar o código de saque no aplicativo Caixa Tem.

“Deu código inválido no aplicativo, isso nunca tinha acontecido. Agora, vou ter que vir todo mês na Caixa e pegar uma fila enorme para gerar esse código e receber R$ 100? O atendente me disse que não sou a primeira a enfrentar esse problema. Antes eu gerava o código e pegava o dinheiro na lotérica, sem filas”, diz Nelci.

O ajudante-geral Jakson Ferreira de Matos, 27 anos, também enfrenta problemas com sua conta no Caixa Tem e foi até a agência de São Mateus para tentar resolver.

“Não consigo fazer nada no aplicativo. Vim tentar pegar a última parcela do auxílio emergencial”, contou.

A Caixa afirma que, além do aplicativo Caixa Tem, é possível consultar informações nos terminais de autoatendimento, nas lotéricas, nos correspondentes Caixa Aqui, nas agências da Caixa e pelo telefone 111.

Para receber o Auxílio Brasil, é preciso estar cadastrado no CadÚnico e com as informações atualizadas.

O cadastro é feito normalmente nas prefeituras, no Cras (Centro de Referência de Assistência Social), ou em um posto de atendimento do Cadastro Único e do Programa Bolsa Família Apresente, pelo menos, um documento para cada pessoa da família, dentre os seguintes:

Certidão de nascimento; Certidão de casamento; CPF; RG; Carteira de trabalho; Título de eleitor; Registro Administrativo de Nascimento Indígena (Rani), se a pessoa for indígena.

Fonte: Ministério da Cidadania

Por Havolene Valinhos e Ana Paula Branco