FolhaPress

Bolsa sobe 1,54% com aposta em avanço da PEC dos Precatórios e alívio sobre Evergrande

Analistas atribuem resultados a um cenário em que a PEC dos Precatórios será aprovada

Bolsa de valores

A Bolsa de Valores subiu 1,54% nesta quinta-feira (11), a 107.594 pontos. O dólar recuou 1,76%, a R$ 5,4040. Analistas atribuem os resultados a um ajuste do mercado a um cenário em que a PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios será aprovada pelo Senado e, assim, permitirá ao governo definir o Orçamento de 2022.

Apesar de autorizar um calote nas dívidas judiciais da União e furar o teto de gastos para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) amplie o Auxílio Brasil no ano em que ele deverá disputar a reeleição, a medida permite aos investidores mensurar o risco fiscal do país.

“Se não tivermos novos furos [no teto de gastos] ou mais peripécias fiscais, poderemos dizer que o real apanhou exageradamente em relação às demais moedas emergentes e que que a Bolsa estava muito desvalorizada”, diz Flávio de Oliveira, head de renda variável da Zahl Investimentos.

A ampliação de gastos por meio de uma medida provisória, por exemplo, é avaliada como uma fonte de incerteza ainda maior do que o calote nas dívidas judiciais da União que a PEC dos Precatórios permite.

O mercado de ações também foi impulsionado pelo desempenho positivo dos setores de siderurgia e mineração, na esteira da valorização dos contratos de minério de ferro após rumores de falência da incorporadora chinesa Evergrande terem sido desmentidos, segundo Rafael Ribeiro, analista em investimentos da Clear.

A Vale subiu 3,53% e foi o principal ativo negociado na Bolsa nesta quinta. A CSN disparou 7,46%, também impulsionada pelas notícias sobre o setor de construção civil da China.

A expectativa de que o Banco Central acelere a alta de juros para conter a inflação também ajudou a tirar a pressão sobre o mercado de câmbio, que passa a esperar que a alta da Selic tornará o país mais atraente para investidores internacionais.
“Passamos a esperar uma política monetária mais contracionista”, diz Zeller Bernardino, especialista em câmbio da Valor Investimentos.

O diretor de política monetária do Banco Central, Bruno Serra, já havia reforçado a possibilidade de um combate mais agressivo à inflação. Em entrevista publicada na segunda-feira (8) pelo Nikkei Asia, Serra afirmou que o Copom (Comitê de Política Monetária) poderá elevar a taxa Selic em mais 1,5 ponto percentual em dezembro.

O petróleo Brent, referência mundial, recuou 0,02%, a US$ 82,59 (R$ 447,51). As ações preferenciais da Petrobras subiram 0,08%.
A alta do Ibovespa nesta sexta também contou com o ânimo de investidores com uma bateria de balanços trimestrais positivos.

A Azul disparou 9,83% após a companhia mostrar forte receita no terceiro trimestre e adotar um tom positivo para 2022 na teleconferência sobre o seu balanço.

A Totvs avançou 3,59%, depois de reportar aumento no lucro do terceiro trimestre, com crescentes receitas ligadas à tecnologia financeira e performance de negócios compensando efeitos de maiores despesas. A companhia também anunciou plano de investimento de R$ 300 milhões em startups.

As ações da Via (VIIA3), porém, caíram 12,48% nesta quinta-feira (11), liderando as baixas na Bolsa.
O desempenho negativo dos papéis da dona das marcas Casas Bahia e Pontofrio ocorreu após a empresa ter informado prejuízo líquido de R$ 638 milhões no terceiro trimestre, sob impacto de revisões em provisões geradas por processos trabalhistas.

Em Wall Street, o Dow Jones caiu 0,445. Os índices S&P 500 e Nasdaq subiram 0,06% e 0,52%, respectivamente.

Por Clayton Castelani