Da redação
Do Mais Brasília

Após Covid, mulher de Cristiano fala em ataques na web

Ela decidiu desabafar em seu Instagram sobre o que passou e os ataques que recebeu por conta de o artista ter ficado doente.

Paula Vaccari e o sertanejo Cristiano com os filhos, Pietra e Cristiano (Foto: Reprodução/Instagram)

Após período turbulento em casa, por conta de ela e o marido, o cantor sertanejo Cristiano, da dupla com Zé Neto, terem sido acometidos por Covid, assim como outros familiares, Paula Vaccari decidiu desabafar em seu Instagram sobre o que passou e os ataques que recebeu por conta de o artista ter ficado doente.

“Agora está tudo bem, graças a Deus. Tudo caminhando. Não consegui vir aqui falar antes porque eu estava emocionalmente e fisicamente bem abalada. Mas eu queria agradecer a todas as orações, mensagens positivas que a gente recebeu nesse período. Foi muito importante para a gente, para nos fortalecer. Muita gente orando pela minha família”, começou ela.

Na sequência, Paula detalhou as dificuldades que sua família passou após quase todos terem sido acometidos pela doença. “A minha mãe testou postivo. Ela teve contato com uma pessoa que estava assintomática, e acabou pegando o vírus. O Cristiano acabou pegando, eu peguei. O Irineu não tinha pegado, mas quis ficar com a gente, para cuidar de mim. E mesmo tomando todos os cuidados, ele também pegou. Minha mãe precisou ficar na UTI. Graças a Deus não foi intubada, ela foi muito guerreira todos os dias. Foram 11 dias, e nesse tempo eu também precisei ficar internada, porque fiquei muito debilitada, com o pulmão comprometido. Não tinha forças. Depois o Irineu precisou ser internado também, que ficou com o pulmão comprometido. Neste meio tempo estava bem atordoada”, desabafou.

Segundo ela, a babá das crianças foi essencial no período, que conseguiu cuidar de Pietra e o pequeno Cristiano enquanto todos se recuperavam da doença. “Graças a Deus tive ela. A gente não queria ninguém mais da minha família aqui junto para não correr o risco de outras pessoas pegarem. Como ela tinha acabado de sair, teoricamente, ela não pegaria tão rápido assim”, explicou.

Críticas na web e mensagens de ódio

Paula explicou que em meio a período tão turbulento, ainda teve que lidar com haters da internet. “Eu não acompanhei todos os dias as redes sociais. Tentava me manter com as mensagens boas, mas tem sempre as pessoas à parte, que se acham no direito de julgar. Acho que todo mundo flexibilizou nessa quarentena. Já não existia mais tanta quarentena. Quem pode viajar, viajou. Quem pode encontrar um parente, um amigo, encontrou e saiu para jantar ou almoçar – até porque estavam abertas as coisas”, justificou.

Apesar de tudo, ela ainda fez apelo para os fãs. “Quem puder, fique em casa, se cuide. O vírus não está para brincadeira, está mais forte do que quando começou. Essa cepa nova está para derrubar mais ainda. Quem precisar trabalhar, vá com todos os cuidados. Não tire a máscara por nada e use muito álcool em gel.”

Saúde Mental

Além do desgaste físico provocado pela doença, Paula explicou que também teve que lidar com as fragilidades da sua saúde mental. “O mental fica destruído. Eu desenvolvi de novo a síndrome do pânico e precisei voltar com os remédios. Tive muito medo dos meus filhos terem sintomas, porque os dois pegaram. Mas graças a Deus eles não sentiram nada”, desabafou.

Para finalizar, Paula ainda tranquilizou os fãs ao dizer que toda a família está bem, apesar de tudo. “As crianças estão bem. O Cris também está bem. Ele está em isolamento aqui em casa. Os médicos pediram mais cinco dias até completar vinte, para que não tenha risco de transmissão. Estamos cuidando dele, aqui. A minha mãe está bem debilitada, no dia que chegou do hospital preferimos deixá-la na casa da minha tia, para não correr o risco de reinfectar. A gente não sabe como é, como ela está muito fraca, a gente preferiu deixar lá”, contou.