FolhaPress

Mike Tyson diz fumar veneno de sapo para ter concentração e contra ansiedade

Gosma do animal, diz ele, o ajudou a perder 45 quilos

Foto: Instagram/Reprodução

O ex-lutador de boxe Mike Tyson, 55, revelou em entrevista ao New York Post que tem fumado veneno de sapo contra ansiedade e depressão. Segundo ele, a gosma produzida pelo bicho o ajudou muito a melhorar de saúde e a se tornar “diferente”.

Ele conta que o anfíbio tem substâncias com propriedades psicoativas que são estudadas pelos cientistas. Embora ainda não tenha resultados sólidos, a publicação afirma que a gosma já foi capaz de reduzir sintomas da depressão e de ansiedade nos participantes de um experimento.

“Fiz isso como um desafio. Eu estava usando drogas pesadas como cocaína, então por que não? É outra dimensão. Antes de usar o ‘sapo’, eu estava arrasado. O oponente mais duro que já enfrentei fui eu mesmo”, disse ele que também estava 45 quilos acima do peso.

“Eu tinha baixa autoestima. Pessoas com grandes egos muitas vezes têm baixa autoestima. Usamos nosso ego para disfarçar isso. O ‘sapo’ tira o ego”, disse.

Segundo ele, foram mais de 50 vezes que fumou o veneno. Nesse meio tempo, voltou a treinar e a lutar. “Isso me deixou mais criativo e me ajuda a me concentrar.Estou mais presente como empresário”, contou.

De acordo com Tyson, as pessoas ao seu redor já o veem de outra maneira. “Se você me conhecesse em 1989, você conheceria uma pessoa diferente. Minha mente não é sofisticada o suficiente para entender o que aconteceu, mas a minha vida melhorou. O propósito do ‘sapo’ é atingir seu maior potencial.”

Porém, nas primeiras vezes que ele usou, conta ter sentido a morte mais de perto. “Eu ‘morri’ durante minha primeira viagem. Nas minhas viagens, eu vi que a morte é linda. A vida e a morte têm que ser bonitas, mas a morte tem uma má reputação. O ‘sapo’ me ensinou que não vou ficar aqui para sempre”, disse.

Tyson sempre foi a favor do uso da maconha. Ele já revelou que fumava o equivalente a R$ 220 mil em maconha todos os meses. A declaração foi dada por ele em episódio de seu podcast, ‘Hotboxing’.

Ele possui um rancho que cultiva a erva em parceria com o ex-jogador da NFL Eben Britton. Ele tem investido na produção da planta, de acordo com estimativas, um total de R$ 1,9 milhão.

“Quanto nós fumamos por mês, mais ou menos? Uns US$ 40 mil?”, perguntou Tyson ao colega no episódio.

Em outra revelação recente, explicou como fazia para fraudar os exames antidoping quando estava na ativa: usava uma prótese peniana e usava a urina de outras pessoas de sua família, incluindo do filho bebê e da própria mulher.

“Eu coloquei a urina do meu bebê nele [no pênis falso]”, revelou ao convidado Jeff Novitzky, vice-presidente de saúde e desempenho do atleta do UFC. “Uma vez eu usei a urina da minha esposa e ela disse: ‘Amor, é melhor você torcer para que [o teste] não volte [dizendo que] grávida ou algo assim’.”

Foi aí que o filho bebê passou a ser a primeira opção. “Eu disse: ‘Não, então não vamos mais usar você, vamos usar o garoto’. Porque eu fiquei com medo de que o resultado desse que ela estava grávida… Era disso que eu tinha medo.”