Rodrigo Vasconcelos
Do Mais Brasília

Chelsea derrota o Manchester City na final e vence a Champions League pela 2ª vez

Na final inglesa, melhor para os azuis de Londres que venceram com gol do alemão Kai Havertz

O Chelsea está de volta ao topo do futebol europeu. Nove anos depois de calar a Allianz Arena contra o Bayern de Munique, e exatos dois anos após o último título diante do rival Arsenal na Europa League, os azuis de Londres derrotaram o Manchester City, por 1 a 0, com gol do alemão Kai Havertz, e conseguiram o segundo título da UEFA Champions League.

Com a vitória, o Chelsea se torna o 3º clube inglês com mais títulos da principal competição da Europa, empatado com o Nottingham Forest. Apenas o Manchester United (3) e o Liverpool (6) possuem mais troféus da Champions.

O título representa muito para todo o elenco do Chelsea, do qual apenas Mateo Kovacic havia erguido o troféu ‘orelhudo’ até hoje. Para alguns, como o brasileiro Thiago Silva e o técnico Thomas Tuchel, é a redenção após perder a final de 2020 pelo Paris Saint-Germain. Para outros, como o goleiro Mendy e o autor do gol Havertz (contratação mais cara da história do clube), justifica o investimento para trazê-los no começo da temporada.

Por outro lado, o Manchester City continua na fila pelo principal objetivo do clube desde a chegada do investimento vindo do Catar. Foi a primeira final da história do time inglês, e a volta do técnico Pep Guardiola, que há 10 anos não chegava na decisão da Champions. Faltaram gols para o sonho virar realidade.

O jogo

O primeiro tempo já demonstrava que a batalha tática pesava a favor do Chelsea. A posse de bola estava equilibrada, o que atrapalhou o estilo de jogo no qual o City está acostumado a apresentar.

Além disso, a marcação do time londrino, liderada por N’Golo Kanté, anulou a criatividade que o Manchester desenvolve com grandes meio-campistas. Foi na etapa inicial que conseguiram o primeiro e único chute na direção do gol.

Enquanto isso, o Chelsea tinha as melhores oportunidades, mesmo que desperdiçadas nos pés de Timo Werner. Pois foi outro alemão que acabou definindo o jogo: Kai Havertz partiu em velocidade alta no passe de Mason Mount. Cara a cara com o goleiro Ederson, aproveitou o rebote do primeiro chute e marcou o que seria o gol do título, e o único dele na competição.

Na etapa final, novamente o Chelsea teve a melhor chance de gol, e quase abriu 2 a 0 no chute de Pulisic, mas dessa vez Ederson levou a melhor.

O City amargou a lesão da principal estrela, num lance em que De Bruyne chocou cabeça com cabeça no zagueiro Rüdiger e precisou ser substituído. Gabriel Jesus entrou em campo nessa hora, mas não conseguiu render o suficiente para buscar o empate.

Nos minutos finais, até o maior artilheiro da história do clube, Sérgio Aguero, entrou em campo na tentativa desesperada de Pep Guardiola para não perder o sonho. Sem muita organização e em muitos cruzamentos, o coração na ponta da chuteira não adiantou, e o Chelsea conseguiu segurar a vitória e o bicampeonato.