FolhaPress

Espanha vence a Croácia em jogo da Eurocopa com mais gols e reviravoltas

Na prorrogação, espanhois levaram a melhor com 5 a 3 no placar

Os torcedores presentes ao estádio de Parken, em Copenhague, assistiram nesta segunda-feira (28/6) ao melhor jogo das oitavas de final da Eurocopa.

A vitória por 5 a 3 da Espanha sobre a Croácia teve gol bizarro em erro do goleiro Unai Simón, virada espanhola e aparente tranquilidade no placar, até que dois gols croatas nos últimos minutos forçaram a prorrogação. No tempo extra, alívio para os comandados de Luis Enrique, classificados às quartas de final.

Os espanhóis voltam a essa fase da competição após terem caído nas oitavas em 2016. Nas duas edições anteriores, 2012 e 2008, foram campeões europeus.

Nas quartas, a Espanha enfrenta o vencedor do confronto entre França e Suíça, que também se enfrentam nesta segunda (28/6), em Bucareste.

Sarabia, Azpilicueta e Ferran Torres marcaram os gols da equipe espanhola no tempo normal. Pedri (contra), Orsic e Pasalic anotaram a favor dos croatas, que não conseguiram segurar o time espanhol na prorrogação.

Criticado por suas atuações na Euro, Álvaro Morata recolocou a Espanha em vantagem no tempo extra, e Oyarzabal deu números finais ao confronto.

Melhor marca desta Eurocopa, a goleada espanhola é o segundo duelo com mais gols na história da competição. Os oito gols anotados em Copenhague só perdem para os nove marcados no 5 a 4 da Iugoslávia sobre a França, na edição inaugural do torneio, em 1960.

Há duas semanas, na primeira rodada desta Euro, o estádio de Parken já havia presenciado o momento mais dramático da competição: a parada cardíaca de Christian Eriksen que, por sorte, conseguiu se recuperar. Nesta segunda, também houve drama na arena dinamarquesa, mas apenas no placar, felizmente.

A Espanha, como faz há pelo menos uma década, dominou a posse de bola no primeiro tempo, mas teve dificuldade de encontrar os espaços no campo de ataque.

Em um recuo aparentemente comum de Pedri para Unai Simón, o goleiro espanhol foi dominar a bola, mas acabou não conseguindo contato e deixou ela passar. O gol bizarro colocou a Crácia em vantagem.

Apesar do vacilo, os espanhóis não abdicaram de sua receita. Toque de bola, movimentação e busca por espaços.

Após rondar a área croata, Sarabia deixou tudo igual, aos 38 minutos de jogo. Gol importante e que recolocou a Espanha no jogo ainda antes do intervalo.

Na volta para o segundo tempo, aos 12 da etapa final, Azpilicueta aproveitou cruzamento que veio da esquerda e pisou na área para cabecear e colocar a seleção espanhola em vantagem. Ferran Torres, aos 32, ampliou.

O 3 a 1 sinalizava um fim de partida controlado para os tricampeões europeus (além dos títulos de 2008 e 2012, conquistaram o torneio em 1964), mas a pressão da Croácia nos minutos finais foi recompensada com o gol de Orsic, aos 40, após bate e rebate dentro da área.

Já nos acréscimos, em mais um ataque dos vice-campeões mundiais e diante de uma defesa totalmente desmontada da Espanha, Orsic serviu de garçom. Seu cruzamento da esquerda encontrou a cabeça de Pasalic, que testou firme para deixar tudo igual e levar o jogo para a prorrogação.

No tempo extra, os croatas não conseguiram se proteger dos avanços espanhóis. Morata, que relatou ter recebido ameaças de torcedores nas redes sociais, dominou dentro da área e chutou forte de esquerda para fazer o 4 a 3. Foi seu primeiro gol nesta Euro.

Na sequência, em contra-ataque da equipe de Luis Enrique, Dani Olmo, que começou a carreira no Dinamo Zagreb, da Croácia, cruzou da direita para Oyarzabal completar e definir o 5 a 3, que colocou a Espanha nas quartas de final.