FolhaPress

Juventude vence Flamengo por 1 a 0 com ‘ajuda’ do campo encharcado

Time de Caxias do Sul se dá melhor, conta com "ajuda" de poça d'água e soma pontos importantes contra um dos favoritos

Foto: Pedro H. Tesch/AGIF

Juventude continuou como pedra do sapato flamenguista na Serra Gaúcha. Em seus domínios, na manhã deste domingo (27/6) a equipe do Sul ganhou por 1 a 0 do Flamengo com gol de Matheus Peixoto. O jogo foi marcado pelo gramado encharcado, devido às chuvas que acontecem em Caxias desde sexta-feira.

A situação do gramado complicou demais a proposta de jogo dos times. O Flamengo não conseguiu impor o jogo de velocidade e troca de passes, já que a bola não rolava no campo molhado. O Juventude conseguiu se fechar bem, marcou o gol no erro do Fla na saída de jogo e resistiu à pressão imposta pelos cariocas ao longo da partida.

A vitória coloca o Juventude, provisoriamente, na décima colocação do Brasileiro, com nove pontos conquistados. A derrota estaciona o Flamengo na oitava posição, com os mesmos nove pontos da equipe gaúcha.

O próximo compromisso do rubro-negro será na quinta (1/7) diante do Cuiabá na Arena Pantanal às 20h. Já os gaúchos entram em campo contra o Grêmio em casa às 21h30 da próxima quarta (30/6). Ambas partidas fazem parte da oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo começou e o destaque foi o gramado. A cidade de Caxias do Sul sofreu com chuvas de sexta até domingo e a drenagem do gramado não lidou bem com o volume de água que caiu durante os três dias. Bem pesado, o gramado não ajudava as equipes no domínio e toque de bola. O resultado foi um jogo com bastante bolas pelo alto e um começo bem travado.

O técnico Rogério Ceni já havia pedido para que os jogadores evitassem tocar a bola pelo lado direito do campo, o mais prejudicado pela chuva. Matheuzinho, em saída de bola, tentou rolar a bola para Gustavo Henrique e a bola perdeu velocidade na água, ainda na entrada da área. Esperto, Matheus Peixoto emendou um bonito chute e abriu o placar da partida.

O rendimento do Flamengo não agradava o Rogério Ceni. Ainda aos 35 do primeiro tempo, o técnico colocou Rodrigo Muniz no lugar de Michael. A intenção era aproveitar de melhor maneira a bola aérea, já que o jogo rápido pelas laterais era impedido pela situação do gramado. A alteração não causou efeito imediato e o primeiro tempo acabou com vitória parcial do Ju.

O Flamengo entrou determinado em buscar o resultado e nos quatro minutos da etapa final foi mais perigoso que em todos os quarenta e cinco do primeiro tempo. Bruno Henrique foi a linha de fundo e cruzou para trás e Castilho, do Juventude, desviou e a bola tocou na trave antes de se perder pela linha de fundo. Na sequência Filipe Luís e Rodrigo Muniz também perderam boas chances.

A blitz inicial não deu resultado, mas o Flamengo continuou assustando o Juventude. Bruno Henrique e Pedro, duas vezes, chegaram perto de marcar o gol flamenguista. O Fla melhorou no segundo tempo e parecia mais próximo ao empate que o Juventude do segundo gol, mas não conseguiu marcar. No fim, com o juiz dando oito minutos de acréscimo, a pressão intensificou, mas sem sucesso.