FolhaPress

Santos domina posse de bola, mas perde para o Fluminense no Maracanã

Com gol de Nenê, Tricolor bate o Peixe por 1 a 0

O Santos teve o domínio da posse de bola durante quase toda a partida contra o Fluminense na noite de quinta-feira (17), no Rio de Janeiro. Pelo segundo jogo seguido, no entanto, fracassou na tentativa de balançar a rede. E, desta vez, perdeu por 1 a 0, placar definido em chute preciso do veterano Nenê.

De acordo com o SofaScore, a bola ficou nos pés alvinegros durante 69% do confronto no Maracanã. A formação tricolor precisou atacar menos e finalizar menos para chegar ao triunfo, no início do segundo tempo. Aproveitar a chance que apareceu em cruzamento mal cortado pela zaga visitante foi o suficiente.

Ainda invicto no Campeonato Brasileiro, agora com duas vitórias e dois empates, o Fluminense chegou aos oito pontos e assumiu a quinta colocação. Já o Santos, que só conseguiu vencer uma vez na competição até agora, ficou estacionado nos quatro pontos e caiu para a 13ª posição na tábua de classificação.

Diferentemente do que havia ocorrido no empate por 0 a 0 com o Juventude no último final de semana, o time dirigido por Fernando Diniz teve oportunidades de gol. Não foi estéril a posse de bola, do ponto de vista da criação de chances, mas as finalizações não foram boas e facilitaram o trabalho do goleiro Marcos Felipe.

Após um início de dificuldades na marcação, no qual levou cabeceio de Caio Paulista no travessão, o Santos se estabeleceu no ataque e chegou a ensaiar uma pressão. Foi só no final do primeiro tempo que os comandados de Roger Machado conseguiram sair do campo de defesa e atrapalhar a saída de bola do rival.

No começo da segunda etapa, houve o lance decisivo. Após lateral do lado esquerdo e cruzamento na área, aos seis minutos, Fred brigou pela bola. Felipe Jonatan tentou impedir que Caio Paulista a dominasse e fez um corte que se mostrou desastrado.

Na entrada da pequena área, a bola acabou se oferecendo a Nenê, que finalizou sem deixá-la cair no chão.
Diniz, então, fez substituições ofensivas, deixando apenas um zagueiro em sua equipe. A melhor oportunidade para o empate caiu nos pés de Marinho, que recebeu nas costas da defesa e saiu na cara de Marcos Felipe. O atacante finalizou sem força, facilitou novamente a vida do goleiro e falhou na tentativa de evitar a derrota.

FLUMINENSE
Marcos Felipe; Calegari, Manoel, Luccas Claro e Egídio; Martinelli (Wellington), Yago Felipe e Nenê (Ganso); Caio Paulista (Luiz Henrique), Fred (Abel Hernández) e Gabriel Teixeira (Kayky). T.: Roger Machado

SANTOS
John; Pará, Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Danilo Boza (Camacho) e Felipe Jonatan (Madson); Alison, Jean Mota (Lucas Braga) e Gabriel Pirani (Zanocelo); Marcos Guilherme, Kaio Jorge e Marinho. T.: Fernando Diniz

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia e Ivan Carlos Bohn (PR)
Árbitro de vídeo: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Caio Paulista, Yago Felipe, Kayky e Abel Hernández (FLU); Madson, Alison e Lucas Braga (SAN)
Gols: Nenê (SAN), aos 5’/2ºT