Da redação
Do Mais Brasília

Austrália entra em lockdown após casos da variante indiana

Depois de 17 novos casos de Covid-19, governo confina os 7 milhões de habitantes de Victoria e Melbourne

Após o registro de novos casos da variante indiana (B.1.617) do coronavírus, o governo da Austrália impôs um bloqueio de emergência de 7 dias no estado de Victoria, o segundo mais populoso, e em Melbourne, a segunda maior cidade do país.

O primeiro-ministro em exercício do país, James Merlino, anunciou a ordem para permanecer em casa para quase 7 milhões de habitantes após o registro de 12 novos casos somente no estado de Victoria. Em todo o país, foram 17 novos infectados.

“No último dia vimos mais evidências de que estamos enfrentando uma variante altamente infecciosa do vírus, uma variante preocupante que está avançando mais rápido do que detectamos”, afirmou Merlino sobre a variante indiana.

Os 17 novos casos de Covid-19 parecem insignificantes se comparados aos números de outros países, mas a Austrália tem sido um dos países que tem melhor conseguido lidar com a pandemia.

Com 25 milhões de habitantes, o país tem pouco mais de 30 mil infectados e menos de mil mortes causadas pelo novo coronavírus.

Providências

O confinamento no estado de Victoria busca rastrear a origem dos novos casos. Moradores só poderão deixar suas casas para trabalhos essenciais, assistência médica, compras no supermercado, exercícios ou tomar a vacina contra a Covid-19.

Merlino afirmou que foram identificados mais de 10 mil contatos primários e secundários que precisam ser colocados em quarentena e testados, acrescentando que “esse número continuará a crescer e mudar”.

Esta é a quarta vez que Melbourne entra em lockdown desde o início da pandemia . A cidade de cerca de 5 milhões de habitantes passou quatro meses sob severas medidas de restrição no ano passado devido à pandemia.

A Austrália precisou aplicar poucas medidas de contenção nos últimos meses, por ter conseguido conter a disseminação do novo coronavírus, mas críticos dizem que a lentidão na aplicação das vacinas deixou a população exposta a novos surtos.

O país aplicou apenas 3,69 milhões de vacinas contra a Covid-19 até o momento, o equivalente a 14,47 doses a cada 100 habitantes, segundo dados do “Our World in Data”. O número é inferior ao da média mundial (22,36) e até mesmo a do Brasil (29,99).