FolhaPress

Bolsonaro diz que tem limite de prazo com PL e que conversa com outros partidos

O maior entrave é São Paulo, onde o PL pretende apoiar a candidatura do tucano Rodrigo Garcia

Jair Bolsonaro
Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido ) afirmou nesta segunda-feira (15) que tem um limite seu prazo de espera por uma definição com o PL, e afirmou que voltou a conversar com outros partidos.

“Depende do Valdemar [Costa Neto, presidente do PL], com a sua habilidade que todo mundo conhece, conduzir essa coisa. O PP me quer lá ainda [sua filiação]. Conversei com o Ciro [Nogueira], com o Fábio Faria, Rogerio Marinho, as pessoas que estão no Brasil. Eu tenho um limite. [Conversei com] O Republicanos também”, disse ele, durante visita à Expo 2020, em Dubai.

A filiação do presidente ao PL estava praticamente acertada, mas foi adiada em razão da composição de palanques estaduais. O maior entrave é São Paulo, onde o partido pretende apoiar a candidatura do tucano Rodrigo Garcia. Em estados do Nordeste, há acenos a partidos de esquerda.

De acordo com Bolsonaro, não é possível esperar até o mês de março para uma definição -o prazo legal para filiação partidária é o início de abril.
“O prazo é março, mas março é tarde demais, porque já começam pessoas a se apresentarem como candidatos pelo Brasil”, afirmou.

Ele disse esperar por uma definição em um prazo de duas a três semanas.
Bolsonaro está sem partido há cerca de dois anos, desde que rompeu com o PSL, legenda pela qual se elegeu. Neste período, ele tentou várias alternativas, a começar da criação de um novo partido, a Aliança pelo Brasil, mas a empreitada fracassou.

Depois, flertou com diversas legendas, como PTB, PRTB, Patriota e PP, até definir-se pelo PL, mas com a condição de que pudesse ter controle total sobre o partido, incluindo a definição dos palanques estaduais.

Na última quarta-feira (10), após uma reunião com Bolsonaro, Valdemar havia anunciado a filiação do mandatário ao partido em um ato no dia 22 de novembro, em Brasília.
De acordo com o próprio Bolsonaro, a ida para o PL estava 99,9% confirmada e dependia de detalhes.

Por Fábio Zanini