Do Mais Brasília

Costa Neto denuncia corrupção em contrato entre Banco do Nordeste e ONG, Banco se defende

Banco do Nordeste divulgou nota nesta terça (28)

O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, relata, em um vídeo gravado recentemente, a existência de um contrato de R$ 600 milhões entre o Banco do Nordeste ( programas de microcréditos do banco, Crediamigo e Agroamigo) e uma ONG (Inec), com duração de quase 18 anos.

O contrato é de 2003. A quantia total ultrapassa a casa dos R$ 12 bilhões. Presidente e diretores do banco, à época, se recusaram a realizar processo licitatório para abertura de crédito.

Na gravação, Costa Neto – que no Congresso faz parte do Centrão – diz ter tomado conhecimento do fato somente após o presidente Jair Bolsonaro ter telefonado para ele o questionando acerca de tal contrato, porque, afinal, a diretoria do Banco do Nordeste foi  indicada por Valdemar Costa Neto.

Num dos trechos iniciais da gravação, o presidente do PL diz: “Fui surpreendido na sexta-feira (24) a noite com um WhatsApp do presidente da República me questionando se eu tinha conhecimento no Banco do Nordeste, que tinha um contrato lá, de aproximadamente R$ 600 milhões, o valor seria anual. (…) Achei uma barbaridade, isso há anos (…)”.

No restante do vídeo, o presidente do PL alega que pedirá destituição de toda a diretoria do Banco. O Banco do Nordeste, porém, divulgou uma nota oficial nesta terça-feira (28), em que esclarece que os contratos estão todos respaldados legalmente.

Veja vídeo.