FolhaPress

Lula diz que Bolsonaro não sofreu impeachment graças ao orçamento secreto

Lula discursou por mais de uma hora em evento em Paris, na França

Foto Divulgação

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta terça-feira (16/11), que o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não sofreu impeachment porque liberou muitos recursos para o Congresso por meio do que vem sendo chamado de “orçamento secreto”.

Lula discursou por pouco mais de uma hora no evento “Qual é o lugar do Brasil no mundo de amanhã” na faculdade de ciência política Sciences Po, em Paris, na França. Assim como no Parlamento Europeu, ele foi novamente aplaudido pelos participantes do evento.
Ainda sobre uma possível destituição de Bolsonaro, Lula disse que ela só será possível com mobilização popular.

“O Bolsonaro tem mais de 160 pedidos de impeachment e nenhum foi votado. Por quê? Porque a comissão de orçamento da Câmara criou um orçamento paralelo (…) e com uma quantia dessa ninguém vai votar impeachment. Só quem vai poder votar impeachment é o povo brasileiro dizendo ‘chega. Esse país merece gente melhor'”, disse.

Outro que foi alvo das críticas de Lula no evento foi o ministro da Economia, Paulo Guedes. “Esse Guedes é efetivamente um destruidor de nações. E vocês vão saber como é que a gente vai poder consertar esse país depois que o povo eleger democraticamente um outro presidente. Porque esse Guedes mente muito, mente mais que o Bolsonaro”, disse o ex-presidente.

Em seu discurso, Lula fez muitas comparações entre a situação do Brasil quando deixou a presidência e a atual, principalmente em torno da política externa. Ele mencionou, por exemplo, o fato de Bolsonaro ter ficado isolado na última reunião do G-20 que aconteceu na Itália entre o fim de outubro e o início de novembro.

“É duro, mas é necessário admitir que na última década o mundo regrediu”, opinou o petista.
Nesse tema, Lula ainda mencionou o fim do Bolsa Família e a criação do Auxílio Brasil, programa que depende da aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Precatórios para continuar a ser pago em 2022.

“Acabou (o Bolsa Família) porque eles entenderam que era um símbolo do governo do PT e era preciso destruir para construir mais uma mentira que é o tal de Auxílio Brasil, que só tem data pra começar e não vai acabar nem no fim do ano porque o dinheiro que eles têm pra pagar não é do Orçamento, é mais uma medida, mais uma PEC do Congresso Nacional pra ver se o governo consegue melhorar um pouco nas pesquisas”, afirmou.

A reportagem entrou em contato com o Palácio do Planalto e com o Ministério da Economia, mas eles ainda não se manifestaram sobre os comentários de Lula.

Por Sara Baptista