Do Mais Brasília

PCDF pede para Justiça converter em preventiva a prisão temporária de sargento da PMDF

Militar e o irmão são apontados como líderes de esquema de agiotagem no DF

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) informou que representou ao Poder Judiciário, na tarde desta quinta-feira (18/11), pela conversão da prisão preventiva em temporária dos dois líderes da organização criminosa especializada em agiotagem.

O grupo é liderado pelo terceiro sargento da Polícia Militar do Distrito Federal, Ronie Peter Fernandes da Silva, ao lado do irmão, o empresário Tiago Fernandes da Silva. Ambos foram alvos da “Operação S.O.S. Malibu”, deflagrada pela Divisão de Roubos e Furtos (DRF), na última terça-feira (16/11).

O pedido da PCDF se baseia no teor das declarações colhidas nos últimos dois dias e visa preservar a vida e a integridade física dos endividados. Ainda de acordo com a corporação, a medida é para evitar o desaparecimento de bens dados como garantia e bens que serão objeto de medidas judiciais.

Entenda o caso

O militar Ronie Peter e o irmão, Tiago Fernandes foram presos na manhã da terça-feira (16/11) pelo envolvimento no esquema descoberto pela PCDF.

De acordo com a investigação, o grupo liderado por eles movimentou nos últimos seis meses mais de R$ 8 milhões distribuídos em contas bancárias utilizadas para lavagem de dinheiro.

Apontado como chefe da organização, o militar era o responsável por cobrar as dívidas dos empréstimos. Para isso, ameaçava os devedores, segundo a Polícia Civil.

Na operação realizada pela corporação, além de prender o militar e o irmão, a PCDF apreendeu três veículos da Porsche e uma BMW X4. Outras três pessoas envolvidas no esquema também foram presas. Uma segue foragida no estado de São Paulo.

 O que diz a Polícia Militar?

A Corregedoria da Polícia Militar do DF (PMDF) informou que instaurou a apuração dos fatos no caso do sargento.  De acordo com a Instituição, se comprovado os indícios de irregularidades ou crime, todas as medidas cabíveis serão tomadas.

Ronie Peter está afastado da PMDF há mais de um ano por licença médica.